BASF
Açúcar: Exportação

Governo divide cota de exportações de açúcar aos EUA entre 36 usinas do Norte-Nordeste

Volume estipulado é o mesmo da temporada passada, porém sete usinas saíram da relação


novaCana.com - 02 set 2019 - 10:04 - Última atualização em: 03 set 2019 - 10:03

Foi divulgada, na última segunda-feira (26), em Diário Oficial, a cota de exportação de açúcar para os Estados Unidos para safra 2019/20, rateada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Seguindo um acordo comercial entre os dois países, os volumes vendidos dentro da cota contam com tarifas reduzidas.

No total, 177,75 mil toneladas de açúcar foram divididas entre 36 usinas da região Norte-Nordeste, sete unidades a menos do que no ciclo 2018/19. O montante estipulado, entretanto, permaneceu o mesmo no comparativo entre as duas últimas safras. Como nenhuma usina entrou no rateio, a maior parte das unidades deve aumentar o volume a ser exportado.

Todos os anos, os Estados Unidos determinam uma cota prioritária para compra de açúcar brasileiro e o governo divide o volume entre as usinas do Norte e do Nordeste. O objetivo é que os produtores da região tenham mais previsibilidade para a produção.

cota acucar NNE EUA tabela 20190827 block

Em julho deste ano, as usinas da região também receberam uma cota adicional de açúcar, de 26,15 mil toneladas, referente à temporada 2018/19.

Divisão

De acordo com o estipulado pelo Mapa, o maior volume segue sendo para as usinas alagoanas, com 47,48% do total. Nesta temporada, 84,40 mil toneladas foram divididas entre 15 unidades do estado – 12,93% a mais do que no ciclo anterior.

As usinas Serra Grande, Copervales e Central Açucareira Santo Antônio - Filial Camaragibe foram as que mais tiveram suas cotas ampliadas no estado: 81,46%, 69,65% e 59,04%, respectivamente, frente à temporada 2018/19. Além disso, a usina com maior volume dentro da cota é a Coruripe, com 18,49 mil toneladas, seguida da Central Açucareira Santo Antônio.

usinas cota acucar NNE EUA tabela 20190827 block

Já Pernambuco, o segundo estado com o maior volume, detém 51,21 mil toneladas da cota, ou 20,81% do total. Entretanto, foi estipulado um montante 2,96% menor do que no ciclo passado. A Usina Central Olho D'Água é a responsável pelo maior volume no estado, com 11,22 mil toneladas.

Além disso, duas usinas do Rio Grande do Norte são responsáveis por 8,26 mil toneladas e três da Paraíba, por 8,21 mil toneladas. Apenas uma usina baiana foi listada, a Agro-Industrial Vale do São Francisco, com 7,55 mil toneladas.

Por sua vez, Sergipe irá contribuir com 6,93 mil toneladas. A usina Agro Industrial Capela, inclusive, foi a que teve maior redução na cota em relação ao ano anterior dentre as 36 participantes: 93,66%.

Piauí, Pará, Maranhão e Amazonas também entraram no rateio com uma usina cada, somando 11,16 mil toneladas.

Critérios de escolha

A distribuição da cota é, habitualmente, divulgada até outubro, pois a safra da região Norte-Nordeste acontece de outubro a setembro, diferente da que ocorre no Centro-Sul (de março a abril).

De acordo com regras estipuladas em junho de 2018, o Mapa realiza o rateio conforme a participação de cada companhia no total produzido em 2018/19. Os valores foram enviados pelas próprias unidades produtoras por meio do Sistema de Acompanhamento da Produção Canavieira (SAPCana).

Gabrielle Rumor Koster - novaCana.com


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR