Açúcar: Exportação

Contrato julho do açúcar bruto tem entrega de 4.993 lotes na ICE, dizem operadores


Reuters - 30 jun 2020 - 16:10 - Última atualização em: 01 jul 2020 - 07:04

As entregas contra o vencimento do contrato julho do açúcar bruto na ICE atingiram 4.993 lotes, o equivalente a 253.658 toneladas, volume muito inferior ao recorde verificado no vencimento do contrato maio, disseram três corretores à Reuters nesta terça-feira.

A Raízen, produtora brasileira de açúcar e etanol, foi vista como a maior responsável pelas entregas, com um total de 3.865 contratos, ou cerca de 197 mil toneladas.

A Czarnikow foi citada como a principal recebedora do açúcar, com 2.362 contratos.

Operadores e analistas já esperavam uma entrega bastante reduzida contra o vencimento julho, afirmando que o prêmio do açúcar branco em relação ao bruto – indicador de demanda e lucratividade do refino – vem em queda recentemente.

Havia ainda temores relacionados à capacidade de carregamento de alguns terminais de açúcar no Brasil, estressados pela entrega gigantesca ante o contrato maio, que atingiu 2,26 milhões de toneladas, com todo o volume proveniente do Brasil.

“Depois do atraso causado pela entrega recorde de maio, todo mundo quis evitar trabalhar com o formato de entrega na bolsa, decidindo por contratos individuais”, disse um dos corretores.

Além da Raízen, que é uma joint venture entre Cosan e Shell, a trading francesa Sucden foi citada como responsável pela entrega de 1.128 contratos.

Entre os recebedores, corretores também mencionaram a trading de commodities Louis Dreyfus, com 1.700 contratos, e a trading asiática Wilmar International, com 931 contratos.

Marcelo Teixeira