Em 38 países gasolina é mais cara que no Brasil. Confira os preços pelo mundo

Em um momento em que as usinas, distribuidoras e postos ainda estão se ajustando ao mais recente aumento no preço da gasolina, chama atenção um fato que contraria o discurso do governo: a gasolina no Brasil não está entre as mais caras do mundo. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, chegou inclusive a afirmar que "o preço do litro da gasolina, em qualquer comparação internacional, mostra nosso preço na parte mais elevada".

Os números do governo não estão alinhados com a mais recente pesquisa realizada pela Bloomberg sobre o preço da gasolina ao redor do mundo e a porcentagem da renda diária necessária para comprar um galão do combustível (veja gráfico abaixo). A conceituada publicação selecionou 60 países com renda média por pessoa de pelo menos US$ 3,50 por dia. O ranking mostrou que existem 38 países vendendo gasolina aos consumidores com preço mais caro que o Brasil. Em relação ao impacto do preço do combustível na renda da população o Brasil ocupou a 20ª posição.

A constatação, feita antes do aumento de 6,6% no preço da gasolina nas refinarias, traz à tona um grande dilema no que diz respeito à política de preços deste combustível: apesar de a manutenção do valor pago pela gasolina ajudar a controlar a inflação, os preços praticados acabam não acompanhando o preço do barril de petróleo, o que tem trazido prejuízos bilionários para a Petrobras.

Para o setor sucroalcooleiro, dependente de preços mais atrativos para o etanol,  esta situação faz com que o etanol perca competitividade,
já que, mesmo custando menos por litro, o biocombustível tem eficiência 30% menor do que o combustível fóssil.

Novos aumentos na gasolina não estão na agenda do governo, mas o feito no fim de janeiro já permite que o preço do etanol, que segue a lei da oferta e demanda, suba para atender as necessidades da indústria, em crise há pelo menos três anos. O site novaCana.com, dedicado exclusivamente ao mercado de etanol no Brasil, apresenta abaixo o gráfico completo com todos os preços.

Preço (e peso no bolso) da gasolina pelo mundo
Segundo os resultados da pesquisa, o país com maior preço para a gasolina é a Turquia (US$ 2,61/litro). A maior parte deste valor é de impostos que aumentam a receita do governo e mantém o país como a maior economia do Leste Europeu. Contudo, um galão do combustível (equivalente a 3,8 litros) pesa no bolso dos turcos, levando quase um terço da renda média diária de 30 dólares O país ocupa a sétima posição no ranking desta categoria.

Em segunda e terceiro na classificação dos preços mais altos estão Noruega e Holanda, onde a gasolina custa US$ 2,54 e US$ 2,40, respectivamente. A presença do país escandinavo, um dos grandes produtores de petróleo do mundo, nesta posição surpreende, mas é justificada pela política de usar os lucros obtidos com a venda de petróleo e seus derivados para manter serviços como educação superior gratuita e melhorias na infraestrutura.

De qualquer forma, o país está na 51ª posição na classificação de acordo com a porcentagem da renda diária necessária para comprar um galão do combustível, já que o valor corresponde a 3,4% do que um cidadão recebe por dia. Na Holanda, onde o meio de transporte de escolha dos cidadãos é a bicicleta, o preço da gasolina corresponde a 7,3% da renda diária, o que o deixa na 40ª posição do ranking.

Sem surpresas, entre os países que tem preços de gasolina mais baixos estão os principais produtores de petróleo do mundo: Kuwait (58ª posição), Arábia Saudita (59ª) e Venezuela (60ª). Os valores pagos por litro variam entre US$ 0,016 e 0,12 e colaboram para que as três nações sejam também as últimas classificadas na lista que leva em conta o quanto cada um deles representa da renda diária.

Mesmo assim, a Bloomberg destaca que o Kuwait estabeleceu um plano para diversificar sua economia, já que ela depende muito do petróleo, e a Arábia Saudita está investindo em diversas alternativas para substituir a geração de energia a partir da queima de combustíveis fósseis. Enquanto isso, a Venezuela não consegue diminuir os subsídios da gasolina, devido à pressão popular.

Brasil
No que diz respeito ao preço da gasolina, o Brasil ocupa a metade final da tabela, cobrando dos consumidores US$ 1,43 por litro. Isto representa 16% da renda diária per capita, o que deixa o país na 20ª posição na classificação que tem esta porcentagem como critério. Segundo a pesquisa, nosso consumo do combustível por habitante está um pouco abaixo da média mundial.

 

Vivian Faria - novaCana.com
Esqueci minha senha close modal