BASF

Distribuição das usinas de etanol no Brasil


Em 2007, o Brasil contava com 370 unidades processadoras de cana-de-açúcar, sendo 294 instaladas na região Centro-Sul e outras 76 na região Norte-Nordeste. Quanto ao tipo de produção, as unidades são divididas em usinas, usinas com destilarias anexas e destilarias autônomas; as primeiras produzem somente açúcar, as segundas fabricam tanto açúcar como etanol e as destilarias autônomas apenas etanol. As plantas que produzem etanol somavam 355 unidades distribuídas em 283 municípios.

Essas unidades processadoras de cana moeram, em média, 1,5 milhão de toneladas de cana por safra na região Centro-Sul e pouco mais de 1 milhão como média nacional. As destilarias, autônomas ou anexas, produzem em média cerca de 400 mil litros de etanol por dia; no início do Proálcool as unidades produziam entre 120.000 e 180.000 litros/dia, tendo havido, portanto, um significativo aumento de escala.

As melhores destilarias produzem aproximadamente 85 litros de etanol anidro por tonelada de cana. As usinas têm produção em torno de 71 kg açúcar e 42 litros de etanol para cada tonelada de cana processada.

Distribuição geográfica das usinas

Localização das usinas de açúcar e bioetanol no BrasilLocalização das usinas de açúcar e bioetanol no Brasil. Fonte: CTC – NIPE (2005)

Observe a localização das usinas do país, concentradas na Zona da Mata na região Nordeste e no noroeste do estado de São Paulo, na região Sudeste. Entre os maiores produtores nacionais, destacam-se o estado de São Paulo, que produz próximo de 60% de toda a cana, açúcar e etanol do país, e o estado do Paraná, segundo maior produtor de cana, com 8% do total.

Região Norte-Nordeste

A região Nordeste é a mais tradicional produtora de açúcar, desde que a indústria açucareira se consolidou em Pernambuco no início do Século XVIII. Com o advento do Proálcool, o setor aderiu à produção de etanol e, em 2007, existiam 67 unidades produzindo esse combustível. No Norte, existem apenas duas usinas pequenas, moendo, ambas, um total em torno de 600.000 toneladas de cana por safra.

A região Norte-Nordeste chegou a produzir 2,27 bilhões de litros de etanol na safra 1996/1997, caindo para 1,36 bilhão de litros em 2001/2002, chegando a 1,77 na safra 2006/2007. Apesar de ter recuperado um pouco a produção de etanol, a região tem priorizado a produção de açúcar devido à existência de cotas preferenciais para o mercado americano e pela maior proximidade dos mercados importadores. Todavia, a antiga capacidade de produzir etanol ainda deve existir.

O estado de Alagoas é o maior produtor de etanol da região, e o terceiro do Brasil. De acordo com o as informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) 2007, Alagoas conta com 25 usinas, das quais quatro produzem somente açúcar, e estão localizadas, principalmente, numa faixa de 50 km de largura paralela ao litoral.

Pernambuco é o segundo maior produtor do Nordeste com 20 usinas produzindo etanol, mais quatro que produzem somente açúcar. O etanol é produzido, também, em nove usinas na Paraíba, quatro em Sergipe e quatro no Maranhão, três na Bahia e duas no estado do Ceará. Os estados do Pará, Piauí e Amazonas, contam com uma unidade produtora, cada.

Região Centro–Sul

Esta região concentra as maiores unidades produtoras de etanol do país. Em 2007, 288 usinas produziram etanol, sendo que em 191 unidades foi produzido tanto álcool anidro como hidratado. O Centro-Sul chegou a produzir 13,3 bilhões de litros na safra 1997/98, caiu para 10,1 bilhões de litros em 2000/2001 e elevou sua produção para 16,2 bilhões na safra 2006/2007. Na safra 2006/2007, 20 usinas moeram individualmente acima de 3 milhões de toneladas de cana, perfazendo um total aproximado de 85 milhões de toneladas; destas usinas, 17 estão localizadas no estado de São Paulo.

São Paulo, o maior produtor da região, conta com 177 usinas; destas somente cinco produzem exclusivamente açúcar. O Paraná, o segundo maior produtor, tem 31 usinas produzindo etanol; Minas Gerais 30, incluindo uma que produz somente açúcar; Goiás 11; Mato Grosso 19; Mato Grosso do Sul 11; Rio de Janeiro 7, Espírito Santo 6 e uma no Rio Grande do Sul.

Dez maiores produtores de etanol do Centro-Sul e suas respectivas moagens totais na safra 2006/2007.

UnidadeEtanol (10/6 L)Moagem Total (10/6 t de cana)
Da Barra 289,3 7,02
São Martinho 286,3 6,74
Santa Elisa 270,1 5,96
Vale do Rosário 230,6 5,49
Itamarati 230,0 5,08
Da Pedra 216,8 4,10
Equipav 214,0 4,43
Catanduva 212,4 3,91
Moema 198,3 4,41
Colorado 181,3 4,48

Fonte: União dos Produtores de Bioenergia (UDOP), 2008. Veja também a lista das 20 maiores usinas e os 10 maiores grupos sucroalcooleiros.

Modelo de produção nas usinas

Antes do Proálcool, a produção de etanol no Brasil era obtida, essencialmente, do chamado álcool residual, que tinha como matéria-prima o melaço, ou mel final, subproduto da fábrica de açúcar. A partir de 1976, começaram a surgir as chamadas destilarias autônomas, que produziam somente etanol a partir do caldo de cana. Em paralelo, foram sendo instaladas destilarias anexas às fábricas de açúcar existentes. Com o crescimento das exportações de açúcar, as destilarias autônomas foram, na sua maioria, convertidas em usinas de açúcar e etanol. Na tabela abaixo temos a distribuição das usinas de açúcar, destilarias autônomas e usinas com destilarias anexas nos anos de 1990 e 2002.

A capacidade de processamento das unidades de produção varia entre 500.000 toneladas ao ano até 7.000.000 de toneladas.

Em relação à posse da terra usada para o cultivo da cana, 65% do total é de propriedade das usinas, e 35% de produtores independentes, que somam cerca de 70.000 fornecedores.

Distribuição das usinas de açúcar, destilarias autônomas e usinas com destilarias anexas

Tipo de indústria19902007
Usinas de açúcar 27 15
Destilarias autônomas 180 104
Usinas com destilarias anexas 168 251
Total 375 370