BASF

Preservação dos solos a partir do plantio da cana


De acordo com Donzelli (2005a), a expansão da cultura da cana está ocorrendo com a incorporação de áreas mais pobres (pastagens, na maioria extensivas) e deverá concorrer para a recuperação destes solos, com a adição de fertilizantes, corretivos, mas também de vinhaça, torta de filtro e palha. Isto levará a maiores teores de carbono no solo e menor erosão. Por outro lado, a perda de solo por erosão é um sério problema, dependendo do tipo de cultura, práticas agrícolas, tipo de solo e regime de chuvas.

A cultura da cana no Brasil é reconhecida hoje por apresentar relativamente pequena perda de solo por erosão, comparada com soja e milho, por exemplo. Essa situação continua melhorando com o aumento da colheita sem queima, reduzindo as perdas a valores muito baixos, que tendem a ser ainda menores com o emprego crescente de práticas de plantio direto.

Perdas de solo e água em culturas anuais e semi-perenes

  Perdas
Cultura anual Solo
t/(ha.ano)
Água
(% chuva)
Mamona 41,5 12,0
Feijão 38,1 11,2
Mandioca 33,9 11,4
Amendoim 26,7 9,2
Arroz 25,1 11,2
Algodão 24,8 9,7
Soja 20,1 6,9
Batatinha 18,4 6,6
Cana-de-açúcar 12,4 4,2
Milho 12,0 5,2
Milho + Feijão 10,1 4,6
Batata-doce 6,6 4,2
Fonte: Donzelli (2005)

Há um aumento dos teores de matéria orgânica (MO) nos solos sob uso com cana-de-açúcar e milho, com relação a pastagens.

O processo erosivo é a maior causa da degradação das terras agrícolas. Nesse aspecto a cana-de-açúcar no Brasil é reconhecidamente uma cultura conservacionista. Alguns autores demonstraram que a perda de solo sob soja é cerca de 62% maior do que quando se utiliza cana-de-açúcar, e com mamona, cerca de 235% maior (DONZELLI, 2005a).

A evolução tecnológica do cultivo da cana-de-açúcar tem permitido em algumas áreas o manejo de colheita sem a queima da palha. O manejo de colheita sem a queima da palha e o preparo reduzido deverão melhorar sensivelmente o nível de conservação de solos. As reduções das perdas de solo e água entre a palha queimada e palha na superfície são de 68% e 69%, respectivamente.

Efeito do manejo dos restos culturais sobre as perdas por erosão

  Perdas
Sistemas de manejo Solo
(t/ha.ano)
Água
(% chuva)
Palha queimada 41,5 12,0
Palha enterrada 38,1 11,2
Palha na superfície 33,9 11,4
Fonte: Donzelli (2005)