Milho

Preço do milho seguirá sustentado em 2021/22, projeta Rabobank


Agência Estado - 17 set 2021 - 07:42

O banco holandês Rabobank prevê preços sustentados para o milho até o fim do ano, por diversos fatores. No mercado local, o banco considera que o aumento das importações não será suficiente para reduzir a pressão sobre os baixos estoques de passagem.

“Considerando as atuais perspectivas para exportações, produção e consumo local, o Rabobank projeta os estoques de passagem (brasileiros) da safra 2020/21 entre 9 milhões e 11 milhões de toneladas, volume similar ao ciclo anterior”, disse um relatório do banco, referindo-se a uma produção total de milho de 86,4 milhões de toneladas (21 milhões abaixo da estimativa inicial) e volume exportado cerca de 50% menor do que em 2019/20.

A perspectiva de baixos estoques até dezembro, além da produção menor e a comercialização mais lenta do milho de 2020/21 no mercado à vista devem “oferecer suporte aos preços de milho no mercado local”, disse o Rabobank.

No cenário internacional, os apertados estoques globais e norte-americanos de milho “continuarão a dar suporte para as cotações (do cereal) na CBOT”, aponta o banco.

O Rabobank ponderou que, apesar do aumento da estimativa de safra de milho dos Estados Unidos em mais de 6 milhões de toneladas, conforme o último relatório mensal do Departamento de Agricultura do país (USDA), os estoques globais para a temporada 2021/22 são os menores desde 2016. Além disso, os estoques norte-americanos, de acordo com o USDA, também são os mais baixos desde 2015.

Clarice Couto


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail