Milho

Mapa projeta elevação de 36,8% na produção de grãos em dez anos; milho deve subir 32,3%


Agência Estado - 21 nov 2022 - 07:49

A produção de grãos no Brasil deve crescer 36,8% nos próximos dez anos e atingir 370,5 milhões de toneladas na safra 2031/32, aponta o estudo Projeções do Agronegócio, Brasil 2021/22 a 2031/32, feito pela secretaria de política agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); pela secretaria de inteligência e relações estratégicas, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); e pelo departamento de estatística da Universidade de Brasília (UnB).

“Esse acréscimo corresponde a uma taxa de crescimento de 2,7% ao ano. Algodão, milho de segunda safra e soja devem continuar puxando o crescimento da produção de grãos”, disse o Mapa.

Segundo o estudo, o mercado interno, as exportações e os ganhos de produtividade deverão ser os principais fatores de crescimento na próxima década. O documento aponta uma tendência de crescimento com ganhos de produtividade, já que a área de grãos deve aumentar 17% entre 2021/22 e 2031/32, passando de 74,3 milhões de hectares em 2021/22 para 86,9 milhões de hectares em 2031/32, o que corresponde a um acréscimo anual de 1,6%.

Em nota, a pasta diz que as projeções se referem aos 16 produtos pesquisados mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) – algodão, amendoim, arroz, aveia, canola, centeio, cevada, feijão, gergelim, girassol, mamona, milho, soja, sorgo, trigo e triticale.

Milho

Mato Grosso deve liderar a expansão da produção de milho na próxima década, segundo a pasta. A produção deve passar de 41,6 milhões de toneladas na safra 2021/22, para 56,9 milhões em 2031/32.

Nacionalmente, a produção do cereal deve passar de 113,27 milhões de toneladas para 149,9 milhões ao longo do período, um crescimento de 32,3%.

O Mapa, contudo, reforça que há um potencial para chegar a até 191,5 milhões de toneladas. “As exportações e a demanda de milho para a produção de etanol serão duas importantes forças a estimular a produção”, complementa.

Conforme a pasta, a área plantada de milho deve ter um acréscimo anual de 1,2% entre 2021/22 e 2031/32, passando de 21,5 milhões de hectares para 24,6 milhões.

Especificamente, o milho de segunda safra deve ter forte expansão de área, passando de 16,4 milhões de hectares para 21,7 milhões.

“Não haverá necessidade de novas áreas para expansão dessa atividade, pois as áreas de soja liberam a maior parte das áreas requeridas pelo milho. As chamadas áreas de reforma de culturas como cana-de-açúcar também costumam ser usadas com milho, amendoim e outras”, justifica.

O consumo interno de milho, que em 2021/22 representa 67,5% da produção, foi projetado para 67,7% ao final do período. De acordo com o Mapa, o aumento dos confinamentos de bovinos também passa a demandar maiores quantidades de milho para alimentação.

Por sua vez, as exportações devem passar de 37 milhões de toneladas em 2021/22 para 46,3 milhões de toneladas em 2031/32, podendo chegar a 65,5 milhões de toneladas.

Com informações adicionais NovaCana

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x