Milho

Conab vê alta de 33,7% na nova safra de milho e colheita recorde de grãos


Reuters - 08 out 2021 - 07:30

A produção nacional de milho deve ter uma forte recuperação em 2021/22, após a safra deste ano ter sido quebrada por seca e geadas. É o que aponta a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em seu primeiro levantamento focando a nova temporada.

A safra total de milho foi projetada em 116,3 milhões de toneladas, aumento de 33,7% ante ciclo anterior, disse a Conab, ponderando que os números no primeiro levantamento deverão ser ajustados, uma vez que grande parte da produção brasileira é concentrada na segunda safra, que será plantada somente em 2022.

De qualquer forma, a projeção de plantio é de alta de 4,7%, para 20,86 milhões de hectares, com um ligeiro aumento de 1,6% na área plantada da primeira safra, que está sendo semeada, para 4,4 milhões de hectares.

Com um aumento na safra de milho, o Brasil deverá voltar a exportar patamares próximos de 40 milhões de toneladas em 2021/22, segundo a Conab, após embarques de 22 milhões de toneladas no ciclo anterior – o patamar maior de vendas externas pode voltar a colocar o país como segundo exportador global do grão.

De outro lado, as importações de milho também deverão recuar em mais da metade na nova safra, para 900 mil toneladas, trazendo alívio para a indústria de carnes, que enfrentou custos elevados com a principal matéria-prima da ração.

A companhia indicou ainda um volume total de grãos e oleaginosas do Brasil de 288,61 milhões de toneladas, 14,2% ou 35,87 milhões de toneladas superior ao obtido em 2020/21, com a recuperação do milho, principalmente.

A projeção foi feita apesar de incertezas climáticas, notou a Conab. “Os prognósticos sobre o clima dão indicações que o início da temporada deverá ser marcada pela continuidade dos efeitos do fenômeno La Niña, caracterizada pelo atraso e inconstância das condições climáticas”, disse a estatal.

Download

Roberto Samora