Etanol

Usinas de etanol dos EUA pedem fim de “distorções” no Brasil


Valor Econômico - 21 nov 2012 - 09:00 - Última atualização em: 21 nov 2012 - 11:15
Associação de Combustíveis renováveis dos EUA - Renewable fuel association - RFA
A Associação de Combustíveis Renováveis dos Estados Unidos (RFA, na sigla em inglês) pediu ao governo do presidente Barack Obama que interceda junto ao governo brasileiro para que remova "certas distorções" supostamente responsáveis pela queda das exportações americanas para o país neste ano.

Na carta enviada ao embaixador americano Ron Kirk, a RFA pede que se convença o Brasil a reverter sua decisão de 2011 de reduzir a mistura de anidro na gasolina de 25% para 18% e remover a tarifa imposta "arbitrariamente" pelo Estado de São Paulo de 25% sobre a importação de etanol.

A Associação alega que as medidas trouxeram redução drástica das exportações de etanol americano para o Brasil, enquanto o biocombustível brasileiro continua a entrar nos Estados Unidos sem as tarifas de importação — expiradas no fim do ano passado.

Em 2011, os Estados Unidos exportaram 1,2 bilhão de galões de etanol (4,5 bilhões de litros), sendo um terço (1,5 bilhão de litros) ao mercado brasileiro. Com as políticas adotadas pelo Brasil e por São Paulo, calcula a entidade, a participação do Brasil nas vendas americanas deve cair para 10% a 15% do total. Em 2012, os americanos devem exportar entre 650 milhões (2,46 bilhões de litros) a 750 milhões de galões (2,83 bilhões de litros) de etanol para todo o mundo.

Fabiana Batista