BASF
Etanol

EUA desconfia dos números da Unica e projeta importação de etanol de cana em 2016

Agência do governo norte-americano: “Nós não acreditamos que as informações da Unica dão suporte a esse nível extremamente alto de exportações”


novaCana.com - 15 dez 2015 - 11:04

Neste mês os EUA chegaram a uma decisão final sobre como os biocombustíveis ocuparão os espaços na matriz energética para 2016. O programa federal de Padrão de Combustíveis Renováveis (RFS) causa reflexos no mundo inteiro, especialmente nos países com potencial para exportar combustíveis renováveis.

Para o Brasil, o mercado é tão interessante que a Unica chegou a fazer um trabalho para tentar convencer a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) de que o Brasil poderia ser um grande exportador de etanol de cana-de-açúcar.

O problema é que o resultado apresentado pela Unica ficou tão distante da realidade que a agência do governo norte-americano resolveu mergulhar nos números brasileiros e descontruiu os argumentos da entidade brasileira.

Além disso, a EPA fez algumas projeções de quais combustíveis ocuparão as metas definidas no início do mês, o volume e preço do etanol de cana que eles importarão em 2016 e apresenta uma perspectiva para os biocombustíveis avançados para além do ano que vem.

E mais:

- Os argumentos da EPA para as exportações de etanol de cana;

- Preços para 2016: etanol de cana X biodiesel X etanol de milho;

- Visão oficial: como as metas estabelecidas serão efetivamente cumpridas;

- Unica vs. EPA.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

ou