PUBLICIDADE
ARMAC
Internacional

Demanda por combustível na China deve despencar em abril

Lockdown afetou mobilidade e, portanto, uso de combustível no país; gasolina deve sofrer o maior impacto


Bloomberg - 26 abr 2022 - 08:54

A China caminha para o maior choque de demanda de petróleo desde os primeiros dias da pandemia, à medida que os esforços do país para domar o surto do coronavírus prejudicam vastas áreas da economia.

A demanda por gasolina, diesel e combustível de aviação deve cair 20% em abril em relação ao ano anterior, segundo pessoas com conhecimento interno do setor de energia do país. Isso equivale a uma queda no consumo de petróleo de 1,2 milhão de barris por dia, disseram eles.

Este será o maior impacto na demanda desde o lockdown de Wuhan há mais de dois anos. A cidade central da China foi o epicentro da pandemia de covid-19. O declínio equivale a cerca de 9% da demanda diária de petróleo da China em comparação com a média de 2021.

A gasolina sofrerá o maior impacto, enquanto o combustível de aviação está saindo de uma base já baixa, disseram os executivos chineses do setor de petróleo que pediram anonimato porque não estão autorizados a falar publicamente. Embora a demanda por diesel para caminhões tenha caído, os setores agrícola e industrial estão oferecendo algum apoio, acrescentaram.

A China – maior importador de petróleo do mundo – tem sofrido para conter o mais recente surto de covid-19 que levou a uma série de lockdowns em todo o país, principalmente no centro financeiro de Xangai. A estratégia adotada resultou em uma série de regras de quarentena que reduziram a mobilidade e a produção industrial, prejudicaram as cadeias de abastecimento e pesaram sobre o consumo de combustível.

Economistas consultados pela Bloomberg cortaram suas previsões de crescimento para a China mais uma vez devido ao ressurgimento do vírus, enquanto o presidente chinês Xi Jinping defende a abordagem.

A China tinha contido com sucesso os surtos esporádicos de vírus desde Wuhan, mas a variante ômicron dificultou a luta contra a pandemia. O país está determinado em sua abordagem, enquanto outros países reabrem e convivem com o vírus.

A demanda por gasolina no leste da China caiu cerca de 40% este mês, principalmente devido ao lockdown em Xangai, disseram os executivos chineses do petróleo. A cidade prometeu intensificar suas restrições depois que as mortes aumentaram.

Os lockdowns afetam muito nas refinarias de petróleo do país. A Sinopec e refinarias independentes em Shandong foram forçadas a reduzir o ritmo de processamento de petróleo à medida que o consumo esfria.

Isso levou ao aumento dos estoques de combustível, levando as refinarias a pressionar o governo por cotas adicionais de exportação.


PUBLICIDADE BASF GIGA INTERNAS BASF GIGA INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x