BASF
Usinas

Usina de Jaboticabal comprada pela São Martinho será desativada


Folha de S. Paulo - 19 dez 2012 - 10:32 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

A Usina São Carlos, controlada pela Biosev, do grupo francês Louis Dreyfus Commodities, será desativada após a venda dos ativos para o Grupo São Martinho.

Com a negociação, confirmada nesta segunda-feira (17) à noite por meio de um comunicado ao mercado, o município de Jaboticabal (344 km de São Paulo) passará a contar somente com a Usina Santa Adélia.

A Biosev não informou o número de funcionários da usina que será desativada.

Essa é a segunda usina da região que é desativada após uma negociação. Em 2007, a Usina Santa Luiza, em Motuca (307 km de São Paulo), foi fechada oito meses após ter sido comprada pela holding Etanol Participações, controlada pelos grupos São Martinho, Cosan e Usina Santa Cruz.

A negociação dos ativos da Usina São Carlos envolveu o pagamento de R$ 199,6 milhões pela unidade, que processa cerca de 1,850 milhão de toneladas.

A direção da Biosev, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa, informou que a transação, quando concluída, envolverá a descontinuidade da operação industrial da Usina São Carlos, que representa cerca de 5% do total da capacidade de moagem da empresa.

A nota informa ainda que parte dos ativos industriais e dos recursos humanos da unidade poderão ser realocados para outras unidades do grupo Biosev.

Já o Grupo São Martinho, também via assessoria, informou que a empresa só irá se pronunciar sobre a transação após o fechamento do balanço anual de 2012.

De acordo com o comunicado ao mercado, a partir da safra 2013/2014, o grupo assume o canavial próprio e todos os contratos agrícolas e de fornecimento de cana da Usina São Carlos, além de um armazém com capacidade de armazenagem para 40 mil toneladas de açúcar localizado na unidade.

A negociação prevê também que, na próxima safra, 1 milhão de toneladas de cana destinados para a Usina São Carlos sejam comercializadas exclusivamente com a Biosev, que fará a moagem na Usina Santa Elisa, em Sertãozinho (333 km de São Paulo).

No comunicado ao mercado, o Grupo São Martinho destaca como vantagem da negociação, entre outros critérios de mercado, o fato do fornecimento de cana estar localizado em um raio médio de 30 quilômetros da Usina São Martinho, que possui capacidade ociosa para processar o volume que era moído em Jaboticabal. Essa operação, segundo informado no comunicado, representa uma grande potencial na diluição dos custos, já que cerca de 70% do custo de produção está relacionado à área agrícola.

IMPASSE
O secretário da Indústria, Comércio e Turismo de Jaboticabal, Júlio César Tomé, afirmou que está aguardando o comunicado dos grupos envolvidos na negociação, mas que não acredita no encerramento das atividades da Usina São Carlos.

"Ainda é muito recente, qualquer posição agora é mera especulação. A única coisa que tenho informação é que a área administrativa será desativada, o que representa a perda de 16 postos de trabalho", diz Tomé.

Por outro lado, ele afirma que uma eventual desativação da unidade representará uma perda significativa em relação à receita proveniente de tributos como ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e ISS (Imposto Sobre Serviços). No entanto, o secretário não soube informar o valor nem o percentual referente às atividades da Usina São Carlos.

ANGELO SASTRE


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail