Usinas

Usina Coaf negocia CBios e compartilha receita adicional com produtores


Folha de Pernambuco - 28 out 2020 - 07:47

A Usina Coaf, em Timbaúba (PE), está comercializando os créditos de descarbonização (CBios) criados pelo RenovaBio. Até o mês de setembro, foram emitidos 6.720 CBios, o equivalente a uma arrecadação de R$ 300 mil, elevando o faturamento da usina e contribuindo com a preservação da natureza.

A Coaf, que é administrada por uma cooperativa, relata que negocia os créditos com o objetivo de potencializar o desenvolvimento da cadeira produtiva canavieira. A companhia divide os créditos com os fornecedores de cana, agricultores responsáveis pela matéria-prima do etanol produzido.

Cada crédito de descarbonização emitido com base na produção do biocombustível representa menos uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, já que reduz a produção e o consumo do petróleo.

A iniciativa da Coaf está fundamentada no Projeto de Lei (PL 3.149/20), de autoria do deputado federal Efraim Filho (DEM-PB). O projeto busca mudanças na lei do RenovaBio ao retirar o direito de a usina emitir o crédito se não pagar o CBio ao produtor rural na mesma proporção da participação na produção final do biocombustível.

Em Pernambuco, para evitar que os produtores rurais não recebam pelos CBios, a classe de fornecedores de cana, representada pela Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP) e pelo Sindicato dos Cultivadores, decidiu não entregar às usinas o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que é necessário para o processo de certificação no RenovaBio.

“Se a unidade não garantir o pagamento do CBios, nenhum dos canavieiros pode ser obrigado pela entrega do seu CAR para usina. Estamos monitorando a situação nas unidades do Estado”, conta o presidente da Coaf e também da AFCP, Alexandre Andrade Lima.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail