Usinas

São Martinho seguirá com mix açucareiro em 2020/21 se preço de açúcar se mantiver


Agência Estado - 11 ago 2020 - 16:11

O diretor financeiro e de relações com investidores do Grupo São Martinho, Felipe Vicchiato, afirmou nesta terça-feira que o mix produtivo adotado pela companhia sucroenergética deve permanecer mais açucareiro até o fim da temporada 2020/21, desde que os preços de açúcar e etanol no mercado internacional se mantenham nos patamares atuais.

Em teleconferência com investidores para apresentação de resultados do primeiro trimestre da safra, ele acrescentou que os altos prêmios para o adoçante continuam favorecendo a produção e podem levar a companhia a repetir o mix na temporada 2021/22.

As cotações mais altas também levaram a empresa a acelerar o hedge do produto para a safra 2021/22, que já possui 320,259 mil toneladas fixadas ao preço de 12,23 cents por libra-peso, afirmou o executivo.

Isso corresponde a cerca de 28% do total de cana própria do grupo. Em relação à temporada atual, 95% do volume já foi hedgeado a 13,08 cents por libra-peso, o equivalente a 801,103 mil toneladas.

Até o momento, o clima mais seco no cinturão canavieiro do País é uma preocupação para a temporada atual, mas não deve afetar a cana plantada para a safra 2021/22, disse Vicchiato. “Esperamos chuvas de verão a partir de meados de outubro para aumentar umidade dessa cana plantada”.

Julliana Martins


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail