Usinas

Protesto em Maceió (AL) cobra desapropriação de terras das usinas Guaxuma e Laginha

Integrantes da FNL fazem ato em frente ao Tribunal de Justiça de Alagoas; manifestantes também pedem reforma agrária e celeridade no processo para assentamentos de famílias sem-terra


G1 - 13 out 2021 - 10:59
Integrantes da FNL acampam na Praça Deodoro, em Maceió (AL), para protestar

Integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) montaram acampamento no início da manhã desta quarta-feira, 13, em frente ao Tribunal de Justiça de Alagoas, na Praça Deodoro, no centro de Maceió, para cobrar celeridade no processo de desapropriação das usinas Laginha, em União dos Palmares, e Guaxuma, localizada entre os municípios de Coruripe e Teotônio Vilela.

As famílias iniciaram a ocupação após processo de falência dessas usinas. Integrantes de sete municípios de Alagoas estão no centro da cidade para protestar. Marcos Antônio da Silva, o Marrom, da coordenação regional da FNL, disse ao G1 que o protesto só vai terminar quando eles conseguirem falar com representantes do governo do estado e do TJ.

“A gente só quer que o Tribunal de Justiça e o governo cumpram com o acordo dessas terras. Não há uma resposta. Queremos uma resposta concreta. Esse acordo foi feito há quatro anos e até agora nada”, disse Marrom.

O G1 entrou em contato com o Tribunal de Justiça e com o gabinete civil do estado e aguarda resposta.

Segundo Marrom, são mais de 6 mil famílias assentadas nas terras destas usinas. “Precisamos de uma resposta. Essas famílias estão lá há mais de oito anos e não se sabe o que vai acontecer”, completou.

Vivi Leão