Usinas

Produção de biometano e uso de vinhaça podem ampliar notas da Adecoagro no RenovaBio

Diretor do grupo detalha ações para ganho de eficiência e melhoria das avaliações no programa


novaCana.com - 18 nov 2020 - 09:45

A primeira empresa a vender créditos de descarbonização (CBios) do programa RenovaBio foi a Adecogro, em 12 de junho deste ano. Foram 100 créditos comercializados por R$ 50 reais cada, totalizando uma receita de R$ 5 mil.

Durante a Conferência Internacional Datagro, o diretor de açúcar, etanol e energia da Adecoagro, Renato Junqueira Pereira, detalhou algumas projeções da empresa em relação à emissão dos créditos. Ele também apresentou pontos que precisam ser melhorados para tornar a produção das usinas do grupo mais eficiente, ampliar a nota de eficiência energética no RenovaBio e, consequentemente, aumentar a receita com CBios.

Atualmente, o grupo tem suas três usinas certificadas no programa, duas situadas em Mato Grosso do Sul e uma em Minas Gerais. Junqueira utilizou a unidade Adecoagro, localizada em Ivinhema (MS) para exemplificar o quanto as melhorias podem ser instituídas pelo grupo.

A nota de eficiência energética da usina é de 68 gCO2/MJ, ou seja, esta é a quantidade de dióxido de carbono que deixa de entrar na atmosfera em comparação com a gasolina, que emite 87,4 gCO2/MJ. Assim, no caso da unidade localizada em Ivinhema, a diferença entre os valores é de 19,4 gCO2/MJ, o que corresponde às emissões do processo produtivo da usina.

“A nossa eficiência seria 19,4 gCO2/MJ. Os dois principais fatores que podemos melhorar para ampliar a nossa nota é no uso de fertilizantes e no consumo de combustível, principalmente o diesel”, afirma Junqueira. O primeiro destes elementos é responsável por 30% do valor, enquanto o consumo de combustível corresponde a 28%.

Ele detalha que uma das possibilidades de melhoria se dá pela adoção de algumas tecnologias, como a produção de biometano. “Já temos um projeto começando e que terá um futuro muito promissor. Se funcionar do jeito que estamos imaginando, vamos conseguir substituir 100% da utilização de diesel”, completa.

Além disso, Junqueira relata que a Adecoagro está fazendo uso de vinhaça concentrada, o que exime a necessidade de adquirir adubo potássico. A companhia também tem feito a mistura de adubo nitrogenado e de nitro nutrientes à vinhaça, o que diminui as aplicações dos produtos no canavial e, por sua vez, reduz o consumo de óleo diesel usado pelo maquinário.

Confira na versão completa a análise detalhada do diretor da Adecoagro, além das projeções de produção de CBios e de receita adicional com as vendas de créditos do grupo.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail