PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Usinas

Prejuízo das usinas da Odebrecht Agro é compensado por venda dos ativos de cogeração


NovaCana - 23 jul 2014 - 11:04 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

A discreta negociação dos ativos de cogeração das nove usinas do grupo Odebrecht Agroindustrial vai significar à empresa um ânimo de R$ 2,6 bilhões até março de 2015. Conforme apurado pelo Valor Econômico a negociação foi fechada em 31 de março, o que possibilitou que a companhia encerrasse o exercício correspondente à safra 2013/14 com seu primeiro lucro.

Os recursos possibilitarão ao grupo dar prosseguimento a seu plano de expansão sem aumentar a alavancagem. O objetivo é chegar em duas safras à moagem de 32 milhões de toneladas. No ciclo 2013/14 foram processadas 22,5 milhões de toneladas.

A compra da cogeração foi feita pela subsidiária do conglomerado baiano criada em setembro passado, a Odebrecht Energia Renovável. Esta nova empresa foi criada há menos de um ano.

No resultado financeiro do ano passado, todas as usinas do grupo apresentaram resultado negativo (veja tabela).

tab resultado odbagro 230714

O negócio foi fechado por R$ 3,7 bilhões e gerou um ganho de capital bruto R$ 2,036 bilhões, dos quais um total de R$ 1,1 bilhão já foi recebido, sendo R$ 478 milhões via transferência de dívida para a compradora e R$ 628 milhões com entrada de recursos no caixa. Conforme apurado pelo Valor, o valor total da alienação dos ativos e o ganho de capital, também referente a essa venda tem um efeito de redução de 88,54% na alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda).

A expectativa é de que o saldo restante, de R$ 2,6 bilhões, entre diretamente no caixa da sucroalcooleira até 31 de março de 2015.

Apesar da operação, a empresa cita em seu balanço um "excesso de passivos circulantes sobre ativos circulantes, consolidados, no montante de R$ 3,83 bilhões".

A previsão da Odebrecht Agroindustrial é que a cogeração das nove usinas atinja a produção de 3,1 mil Megawatts-hora (MWh) de eletricidade entre as safras 2015/16 e 2016/17. A área representava cerca de 10% da receita total da companhia sucroalcooleira, que foi de R$ 2,6 bilhões em 2013/14, e era o produto de margem mais elevada – 80% de margem Ebitda, o equivalente a 20% da margem da companhia.

Nas nove usinas de cana-de-açúcar - localizadas em São Paulo, em Goiás e em Mato Grosso do Sul - a Odebrecht Agroindustrial deve processar em 2014/15 em torno de 27 milhões de toneladas da matéria-prima, 20% acima da moagem de 2013/14. A sucroalcooleira tem como sócios a BNDESPar e os fundos Ashmore e Tarpon.

Problemas
A Odebrecht Agro enfrenta uma crise grave e já demitiu mais de mil funcionários neste ano. O grupo trabalha com a perspectiva de fechar algumas unidades caso o cenário atual se mantenha.

novaCana.com
com informações do Valor Econômico


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
Card image


x