Usinas

Com preço do etanol em queda, produção de açúcar da SJC deve crescer 25% em 2020/21


Agência Estado - 11 mai 2020 - 07:51

A SJC Bioenergia, joint venture entre a Cargill e o Grupo São João, vai aumentar em 25% a produção de açúcar na safra 2020/21 e reduzir em 150 milhões de litros a fabricação de etanol, em virtude da queda abrupta nos preços e na demanda por combustíveis durante a pandemia do novo coronavírus.

Ao Broadcast Agro, o diretor geral da empresa, Abel Uchoa, afirmou ter observado uma retração na ordem de 35% nas vendas do biocombustível desde a última semana de março. Apesar disso, o ritmo de produção está sendo mantido e os ajustes serão feitos apenas no mix sucroalcooleiro.

Segundo Uchoa, a empresa está passando por esse momento de variações do mercado sem muitas dificuldades, por causa de um trabalho realizado nos últimos anos, que envolveu o aumento do caixa, o alongamento das atividades e um crescimento da capacidade de estocagem.

As medidas estão permitindo que a empresa mantenha as operações, estocando parte da produção de etanol de forma equivalente à retração na demanda. “Cerca de 65% do volume da produção está sendo direcionada para estocagem neste momento”, disse o executivo.

Desde o início das medidas de isolamento social no País, como forma de conter a propagação do novo coronavírus, as vendas de etanol caíram e a SJC Bioenergia chegou a ter que reajustar contratos negociados antecipadamente com algumas distribuidoras. A continuidade das restrições levou a empresa a uma redução entre 30% e 40% nas vendas do biocombustível no mês de abril.

Para os próximos meses, entretanto, a empresa se planeja para uma redução de 20% no consumo. “Entendemos que a desaceleração e a retomada da curva de demanda após a crise ‘petro-político-pandêmica’ devem influenciar todo ciclo desta safra agrícola”, afirmou Uchoa.

A SJC Bioenergia encerrou a safra 2019/20 com uma produção de 600 milhões de litros de etanol e 300 mil toneladas de açúcar.

Julliana Martins