Usinas

O que muda para a Jalles Machado após o IPO, segundo agências de classificação de risco

S&P Global subiu nota da sucroenergética após oferta inicial de ações; já Fitch Ratings manteve classificação, mas acredita em elevação próxima


NovaCana - 22 fev 2021 - 11:38

Com uma arrecadação de R$ 741,5 milhões em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), a Jalles Machado chamou a atenção da bolsa de valores para o agronegócio e, mais especificamente, para o setor sucroenergético. A entrada da companhia na B3 também fez com que ela fosse reavaliada por agências de classificação de risco.

A S&P Global Ratings, em relatório publicado no último dia 8, elevou a classificação da companhia, que passou de BB para AAA na escala nacional. Segundo a agência, a mudança foi motivada pela liquidez mais forte e pela baixa alavancagem da Jalles Machado após o IPO. Além disso, a perspectiva para a sucroenergética é estável, ou seja, a S&P não acredita que a nota será alterada em breve.

“Esperamos que a Jalles mantenha sua sólida eficiência operacional e flexibilidade, com baixo custo caixa de produção e portfólio de produtos de maior valor agregado, enquanto cresce organicamente e por meio de aquisições, financiada pelos recursos do IPO”, declara a S&P, no relatório.

Em um segundo documento, publicado em 10 de fevereiro, a agência ainda subiu a nota de três operações da Jalles Machado, que também chegaram à classificação AAA na escala nacional. Tratam-se de emissões de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) com vencimentos em abril e julho de 2021, e fevereiro de 2026. Em todos os casos, a sucroenergética é a única devedora.

A Fitch Ratings, por sua vez, optou por manter a nota da companhia, classificada como A+ na escala nacional. Entretanto, a perspectiva de crédito foi alterada de estável para positiva, indicando que pode haver uma elevação na próxima análise.

“A perspectiva positiva reflete a conclusão da oferta primária de ações da Jalles Machado, a qual permitirá à companhia financiar o seu plano de expansão, ao mesmo em que mantém indicadores de crédito conservadores para o setor”, afirma a Fitch. “A estratégia de crescimento da empresa fortalecerá seu modelo de negócios, com o aumento de escala de produção e maior diversificação geográfica”.

Leia mais no texto completo (exclusivo para assinantes):

- Destinação dos recursos e impactos nas finanças da companhia
- Projeções das agências para a Jalles Machado
- Análise de liquidez, dívida e alavancagem
- Características que favorecem a sucroenergética
- Perspectivas para o setor de açúcar e etanol


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x