Usinas

Grupo Zilor detalha processo de certificação de suas usinas para o RenovaBio

Elegibilidade média das áreas das unidades ficou em 98%: “Nossa meta é atingir 100%”, diz diretor da companhia


novaCana.com - 12 mar 2020 - 09:45 - Última atualização em: 12 mar 2020 - 14:15

Até o momento, 43 empresas produtoras de biocombustíveis têm certificação para emitir e comercializar créditos de descarbonização (CBios) no programa RenovaBio, conforme aprovadas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dentre elas, 38 são usinas de etanol.

O grupo Zilor certificou todas as suas três unidades ainda no primeiro mês do ano. A usina Barra Grande, em Lençóis Paulista (SP), foi aprovada pela ANP em 27 de janeiro, enquanto as unidades São José, em Macatuba (SP), e Quatá, em Quatá (SP), foram certificadas em 31 do mesmo mês.

Segundo a Zilor, o processo de certificação das unidades iniciou antes mesmo da regulamentação do RenovaBio estar concluída. “Nos preparamos com antecedência para acompanhar de perto os indicadores e as evoluções da regulamentação do RenovaBio”, relata o diretor agroindustrial do grupo, Luiz Gustavo Scartezini Rodrigues.

Para isso, a empresa participou de treinamentos ministrados pela equipe da Embrapa Meio Ambiente, que estava envolvida no desenvolvimento da RenovaCalc. Além disso, foram realizados workshops e treinamentos em todas as unidades agroindustriais e corporativas do grupo, tratando do processo de certificação do RenovaBio e da própria RenovaCalc.

Das três usinas do grupo, a com melhor nota é a Quatá: 57,8 gCO2eq/MJ para o etanol anidro e 57,5 gCO2eq/MJ para o hidratado. Já a unidade São José tem notas de 52,6 e 52,2 gCO2eq/MJ para anidro e hidratado, respectivamente. Por fim, a Barra Grande tem a nota mais baixa do grupo: 51,3 e 50,9 gCO2eq/MJ, entre anidro e hidratado.

“O processo de contratação da firma inspetora foi em junho de 2019 e, depois, passamos por todas as etapas da certificação, incluindo análise de elegibilidade e de indicadores dos processos agroindustriais, atendimento às exigências da RenovaCalc, auditoria in loco e consulta pública”, detalha Rodrigues.

Conforme o diretor, um dos destaques da certificação das unidades da Zilor foi o nível de elegibilidade alcançado, com médias superiores a 98%. “Nossa meta é atingir 100%”, completa.

Confira, na versão completa, a entrevista exclusiva com o diretor agroindustrial da empresa e gráficos sobre as certificações da Zilor, as notas obtidas e os dados apresentados para cada usina, além de projeções para a geração de CBios e a receita adicional a ser obtida com a venda dos títulos.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail