Usinas

Entidades pernambucanas defendem manutenção de arrendamento da Agrocan


Folha de Pernambuco - 30 abr 2021 - 07:51

Com a proximidade do fim do arrendamento do parque industrial e engenhos da usina Pumaty, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, a Cooperativa Agrocan recebeu, nesta quinta-feira, 30, apoio de prefeitos e líderes empresariais.

O arrendamento se encerra no próximo ano e caberá à Justiça decidir se será prorrogado para a Agrocan ou não. Políticos, entidades representativas, sindicatos e classe empresarial defendem a manutenção da Agrocan à frente da usina, para continuidade do desenvolvimento da Mata Sul pernambucana.

De acordo com o prefeito de Joaquim Nabuco, Neto Barreto, o empreendimento proporciona a geração de empregos na região, beneficiando toda a economia. “É muito importante não só para Joaquim Nabuco, mas para a região inteira, são empregos diretos e indiretos em sete anos de atuação. É preciso renovar o contrato, é de grande importância manter esse empreendimento”, disse.

Segundo o prefeito de Palmares, Júnior de Beto, a Agrocan é a maior empregadora da Mata Sul e o funcionamento dela como cooperativa fortalece o comércio no geral. “Apostamos que dará certo e continuar com essa cooperativa, que é um case de sucesso na região”, contou.

Para o presidente da associação comercial de Palmares, Agenor Gomes, a situação econômica dos municípios tem forte influência do funcionamento da Agrocan. “São 5 mil empregos diretos e indiretamente na moagem, quase R$ 8 milhões em ICMS na moagem, apoio à agricultura familiar, sem ela funcionando será um caos”, afirmou.

Na avaliação do presidente do Sindicato Rural de Gameleira, Luiz Victor, a Cooperativa trouxe esperança para o desenvolvimento do cultivo da cana de açúcar. “O engenho e o mato estavam parados e, hoje, praticamente os engenhos estão cobertos de cana e estamos em andamento para plantar o que falta, aumentando a renda das famílias”, disse.

O presidente do Sindicato Rural de Palmares, José Vieira, considera que a usina se tornou uma referência na Mata Sul de Pernambuco, recuperando economicamente outras cidades da região. “Essa usina é boa para todo mundo. No assentamento Miguel Arraes, o pessoal está plantando, tem seis tratores, hoje todos estão trabalhando, gerando emprego. Nós não podemos deixar essa usina voltar para as mãos das pessoas que estavam antes, que não tinham compromisso com o povo”, finalizou.

Também se pronunciaram a favor da Agrocan: o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Palmares, Wilson Monteiro; o presidente do Sindicato Rural de Joaquim Nabuco, Edivaldo Clarindo da Silva; o presidente do assentamento Miguel Arraes, Elenildo Correia; o diretor de articulação sindical rural da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Givanildo Marques dos Santos; o diretor comercial do Grupo Confiança, Carlos Ferreira Lima; e o sócio dos Postos MD, Márcio D’Emery.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail