Usinas

Com dívidas de R$ 830 milhões, justiça aceita recuperação judicial da usina Carolo


Jornal A Cidade - 19 fev 2014 - 08:09

A usina de açúcar e etanol Carolo, em Pontal, teve seu pedido de recuperação judicial aceito pela justiça na semana passada.

Com uma dívida de aproximadamente R$ 830 milhões - fora o passivo fiscal - o grupo Carolo, composto de oito empresas, tem agora 15 dias para fazer a entrega de documentos e mais seis meses para apresentar seu plano de recuperação judicial aos credores, que incluem trabalhadores, fornecedores e bancos.

Nesse período, as ações de cobranças são suspensas e um administrador judicial acompanha todo o processo.

Decisão

De acordo com a decisão da juíza Carolina Nunes Vieira, de quarta-feira passada, na entrega do pedido de recuperação judicial do Grupo Carolo, no dia 9 de janeiro, faltaram documentos essenciais, como balanço patrimonial e relação de empregados e salários, mas houve o deferimento do pedido para "se evitar maiores prejuízos a coletividade dos credores", cita a juíza na decisão. Ela determinou ainda que todos os documentos que faltam sejam entregues em 15 dias.

Um administrador judicial também foi nomeado para acompanhar todo o processo, o advogado Alexandre Borges Leite, quem também administra a massa falida da Nilza em Ribeirão.

A reportagem tentou entrar em contato ontem com o advogado do Grupo Carolo, Sérgio Ricardo Savi Ferreira, mas não teve retorno. Segundo informações passadas em janeiro por um representante do escritório, a usina continua suas atividades normalmente e vai moer na safra 2014/2015.

Raissa Scheffer

PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x