PUBLICIDADE
ARMAC
Usinas

Coruripe investe R$ 200 mi em expansão para produzir açúcar no Triângulo Mineiro

Com a ampliação em Limeira do Oeste (MG), companhia vai aumentar a capacidade de moagem da unidade de 1,5 para 2,5 milhões de toneladas de cana por ano


Coruripe - 19 jul 2022 - 14:13

A partir de investimentos de R$ 200 milhões, a Coruripe vai ampliar a unidade localizada em Limeira do Oeste, no Triângulo Mineiro. O aporte, de acordo com a empresa, é destinado à instalação de uma linha de produção de açúcar VHP na planta industrial, que, atualmente, produz somente etanol.

Com isso, a companhia vai expandir a capacidade de moagem anual da unidade de 1,5 milhão de toneladas para 2,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, o que vai possibilitar um acréscimo de produção de 187 mil toneladas de açúcar VHP por ano e a geração de aproximadamente 100 novos empregos diretos na região.

Para a instalação da nova linha de produção, a Coruripe adquiriu, no ano passado, os ativos da usina Corol, no Paraná, e transferiu os equipamentos para Limeira do Oeste. A previsão de conclusão das reformas e da instalação das novas máquinas é em março de 2024.

Na avaliação do presidente da companhia, Mario Lorencatto, os investimentos representam um progresso muito grande não somente para Limeira do Oeste, mas para todo o país. “O Triângulo Mineiro e as cidades onde a Coruripe mantém unidades sempre receberam o grupo de braços abertos. Sem dúvida, esse novo investimento da companhia vai gerar um grande desenvolvimento, bem como ampliar as possibilidades de negócios na região”, ressalta.

O executivo destaca os recentes investimentos de R$ 95 milhões da Coruripe em uma unidade moderna de transbordo rodoferroviário, operada dentro da unidade de Iturama (MG), conectada ao trecho da Ferrovia Norte-Sul, com capacidade para movimentar 2 milhões de toneladas de açúcar de exportação (VHP) por ano. A produção da planta de Limeira de Oeste, que fica a cerca de 50 quilômetros de distância, será escoada pelo terminal recém-inaugurado.

Segundo o diretor-financeiro da companhia, Thierry Soret, como a maioria dos equipamentos para ampliação em Limeira do Oeste é oriunda da aquisição de uma usina feita no ano passado no Paraná, o nível de investimento é reduzido se comparado a uma expansão com equipamentos 100% novos. Ele explica que o investimento adicional, com o suporte das tradings Czarnikow e Sucden, não deve aumentar a alavancagem financeira, pois “já vem com receitas futuras garantidas em níveis suficientes para garantir um payback extremamente rápido e um retorno de investimento muito vantajoso”.

Também estão previstos aportes para expansão dos canaviais da companhia, o que já está em curso. “A expansão da unidade de Limeira representa um investimento estratégico, que consolida o grupo no Triângulo Mineiro, além da otimização da logística com a operação do novo terminal de Iturama”, afirma Soret.


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x