Usinas

Copersul perde licença para produção de etanol em Cortês (PE)

Cooperativa estava com licença ambiental vencida há três anos e não apresentou defesa administrativa junto à ANP


NovaCana - 20 ago 2021 - 14:06

A Cooperativa Agroindústria de Fornecedores de Cana (Copersul), que opera uma usina em Cortês (PE), teve a sua autorização de produção revogada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A decisão, assinada pelo superintendente de produção de combustíveis da agência, Thyago Grotti Vieira, foi publicada no Diário Oficial da União de quinta-feira, 19.

Com isso, a cooperativa não pode mais comercializar o biocombustível produzido na unidade. A princípio, a capacidade de produção diária era de até 90 mil litros de etanol hidratado.

A decisão foi apenas uma formalidade. Como explica o presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), Alexandre Andrade Lima, a usina está parada há três anos. Segundo ele, a sucroenergética funcionou durante o período de um ano, porém, encerrou suas atividades devido à inviabilidade do negócio.

Conforme um parecer técnico feito em 12 de fevereiro e publicado no Sistema Eletrônico de Informações (SEI) da ANP, o processo de cancelamento da unidade foi iniciado porque a empresa não apresentou as certidões negativas de débito perante a fazenda federal, estadual e municipal, que precisavam ser entregues até o final de agosto de 2020.

Além disso, a Copersul estava sem licença ambiental há três anos. De acordo com o Portal Nacional de Licenciamento Ambiental (PNLA), o documento venceu em 24 de março de 2018 e não houve renovação.

Para completar, o parecer da ANP destaca que a empresa não apresentou defesa administrativa, de modo que o processo de cancelamento prosseguiu seu curso até a publicação da revogação da autorização.

Lucas Vasconcelos – NovaCana


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

Card image


x