Usinas

CMAA projeta moer 9 milhões de toneladas de cana na safra 2021/22

Segundo o CEO, companhia vem crescendo 20% ao ano com expansão de canaviais e capacidade de moagem


RPA News - 01 abr 2021 - 08:02

A Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA), grupo sucroenergético com três unidades instaladas no triângulo mineiro, começa a safra 2021/22 com expectativa de moer 9 milhões de toneladas, um crescimento de 16% se comparado a safra anterior, quando moeu 7,7 milhões de toneladas.

De acordo com o CEO da CMAA, Carlos Eduardo Turchetto Santos, desde a primeira safra, em 2010, a companhia vem crescendo 20% ao ano. “Com certeza é a maior média de crescimento do setor em dez anos.”

Esse crescimento, ainda segundo ele, se dá por aumento da capacidade de moagem e expansão de canaviais. “Fizemos duas aquisições nesse período, a usina Canápolis e a usina Vale do Pontal. Além das nossas duas aquisições, temos a unidade Vale do Tijuco que foi nosso greenfield”, adiciona.

A CMAA tem hoje, em suas três unidades, capacidade instalada para moer 10 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra, além de poder produzir diariamente 2,7 milhões de litros de etanol e 4 mil toneladas de açúcar e de ter uma potência de cogeração de 125 MW.

Segundo Santos, a unidade Vale do Tijuco, localizada próxima Uberlândia (MG) cresceu de 1 milhão de toneladas em 2010 para 5 milhões de toneladas em 2020.

Canaviais e expansão

O clima mais seco afetou muito a região Sudeste em 2020, o que deverá causar impactos na produtividade dos canaviais de grande parte de usinas e produtores de cana. No entanto, especificamente no triângulo mineiro, a seca foi menos severa e, segundo o CEO da CMAA, seus canaviais estão apresentando um bom aspecto visual.

“Acreditamos que vamos ter uma boa safra”, disse Santos, sem revelar a expectativa para a média de rendimento agrícola e qualidade da cana das unidades do grupo.

O ritmo de crescimento da moagem do grupo se dá pelos investimentos pesados em expansão dos canaviais ao longo dos anos. Hoje, segundo o CEO, a companhia tem aproximadamente 130 mil hectares de cana nas três unidades.

“Nossa expectativa é de moer 10 milhões de toneladas na próxima safra. E nosso foco é 100% na agrícola. Colocamos muita energia para ter um canavial produtivo”, afirma Santos.

Ele revela que a empresa faz “o arroz com feijão” bem feito, ou seja, usam todas as tecnologias disponíveis. “No campo devemos fazer a coisa certa na hora certa.”

Maximização de açúcar

A companhia, desde a safra passada, vem optando por um mix de produção mais açucareiro. Assim, aproximadamente 60% da cana-de-açúcar é direcionada para a produção de açúcar.

Apesar desta aposta, o CEO da CMAA não revelou quanto do açúcar já foi fixado no mercado para este ano.

Canápolis

Em meio a pandemia, a CMAA, empresa de capital aberto iniciou as atividades da unidade Canápolis, antiga Triálcool, e incrementou sua capacidade de moagem. Na unidade, é possível moer 2 milhões de toneladas de cana por safra.

Com a abertura da usina, a companhia gerou mil empregos diretos e 4 mil indiretos na região da cidade de Canápolis (MG).

A unidade havia sido comprada em 2017 pelos sócios da CMAA, representados pelos grupos JF Citrus e IndoAgri.

Natália Cherubin


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x