Usinas

Bevap inicia safra nos próximos dias e prevê moagem de até 3,2 mi toneladas de cana


Agência Udop de Notícias - 07 abr 2021 - 07:50

A Bevap Bioenergia, de João Pinheiro (MG), deve iniciar a safra 2021/22 na segunda quinzena do mês de abril, prevendo uma temporada com grandes desafios, como a manutenção da continuidade das operações, garantia do emprego, renda, saúde e segurança de todos os colaboradores, parceiros e comunidade.

“Será um ano de crescimento, consolidação, liderança, segurança, sustentabilidade, planejamento, sonhos e de coragem. Com o crescimento em gestão focada na ESG”, afirma o assessor de comunicação e marketing da Bevap, Jefferson Silva.

Segundo ele, a safra 2021/22 da Bevap Bioenergia deve ultrapassar a meta de 3 milhões de toneladas de cana processadas, podendo chegar a até 3,2 milhões de toneladas, a depender da evolução do clima. Na temporada passada a usina processou 2,92 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Para a produção de açúcar na nova safra, a diretoria da Bevap estima a fabricação de 5,04 milhões de sacas do adoçante, sendo 3,2 milhões de sacas VHP e 1,84 milhão de sacas de cristal. “Todo o VHP é exportado por Santos e o cristal atende canais de venda para indústrias, exportação e atacado”, destacou Silva.

No etanol, a estimativa é de um mix de 50% para o etanol hidratado e 50% para o anidro. A projeção é de produção de 51,6 milhões de litros de hidratado e 51,6 milhões de anidro.

No ano passado, a Bevap fez investimentos em sua planta industrial e no campo, que foram desde a implantação de uma planta de anidro, que começou a operar em setembro; ampliação do sistema de gotejamento (irrigação) durante toda a safra 2020; nova oficina automotiva; novo escritório administrativo e novo almoxarifado. Para esta safra a usina prevê a entrega de um novo barracão de armazenamento de açúcar VHP, que deve entrar em operação em maio próximo.

Para a companhia, os próximos anos serão de grandes desafios para o setor, com uma nova fase de consolidações no curto e no médio prazo. “Após isso, [surgirão] novos projetos para suprir o crescimento de consumo brasileiro de etanol e na demanda mundial de açúcar. O etanol é parte da matriz energética brasileira, e continuará sendo, dado que é o programa de energia renovável mais longevo e eficiente no mundo”, completa.

Na visão da diretoria da Bevap, o etanol produzido no Brasil já possui uma presença no mercado mundial, o que deve ser ampliado com a necessidade de mais países adicionarem o etanol na mistura com a gasolina: “Acreditamos que o Brasil é um agente promissor para suprir a demanda mundial, tanto com etanol de cana quanto de milho”.

Pandemia

Perguntada sobre os impactos da pandemia do novo coronavírus nos planos da Bevap para a nova safra, a unidade respondeu que a pandemia trouxe impactos para todos os setores da economia, e o agronegócio também está sentindo os reflexos.

Entre as medidas adotadas estão: elaboração de um plano de contingência com medidas preventivas, incluindo local para atendimento de colaboradores com sintomas gripais; profissionais para acompanhamento 24 horas; campanhas internas de conscientização; aplicação de testes para detecção de covid-19; entre outras medidas preventivas no local de trabalho. Além disso, a companhia também contribuiu com a doação de álcool 70% a mais de oito cidades da região.

“O cenário atual ainda é sustentado por muitas incertezas, mas o início da vacinação traz muitas boas expectativas para o setor”, afirma Jefferson Silva. “Nossas equipes de saúde e segurança do trabalho acumularam muita experiência no último ano, o que faz com que estejamos atentos, mais preparados e trabalhando fortemente na prevenção, mantendo todas as medidas preventivas de forma a garantir a continuidade de nossas operações”.

Rogério Mian


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail