Usinas

Assembleia de credores da Atvos é suspensa; discussões devem ser retomadas hoje

Controle da empresa depende do resultado de uma disputa judicial entre o grupo Odebrecht e o fundo norte-americano Lone Star


novaCana.com - 20 mai 2020 - 08:16

Como já era esperado pelo mercado, a aprovação do plano de recuperação da Atvos (antiga Odebrecht Agroindustrial) não aconteceu na assembleia marcada para esta terça-feira (19). O encontro foi suspenso a pedido do próprio advogado da Odebrecht, Eduardo Munhoz, mas deve prosseguir hoje (20).

De acordo com reportagem do Valor Econômico, a Atvos Agroindustrial apresentou uma alternativa para caso os credores optem por uma recuperação judicial não unificada entre as usinas do grupo. As unidades que receberam planos específicos são a Conquista do Pontal, em Mirante do Paranapanema (SP), e a Santa Luzia, em Nova Alvorada do Sul (MS).

Além disso, também foram feitas alterações quanto ao limite de pagamento a credores sem garantia real. O objetivo seria assegurar a manutenção das garantias dos credores com garantia real e extraconcursais.

A apuração realizada pelo Valor ainda aponta que o plano de recuperação da Atvos foi ajustado para prever que, caso uma troca de controle não aconteça até 31 de março de 2022, os credores devem se reunir para tratar sobre as condições de pagamento daqueles que tiverem convertido parte de suas dívidas em debêntures. O plano já previa que metade da dívida financeira da companhia, o equivalente a R$ 6 bilhões, será convertida em debêntures que darão direito aos lucros da Atvos.

Esta inclusão acontece ao mesmo tempo em que a Atvos vive justamente uma disputa pelo controle da companhia. No começo de maio, o fundo americano Lone Star comprou 50,1% das ações da sucroenergética, que estavam em garantia pela Natixis, credora da Odebrecht no Peru. A holding, por sua vez, entrou com pedido de arbitragem alegando que a Natixis violou as regras do contrato, firmado em 2017.

De acordo com o plano de recuperação em análise pelos credores da Atvos, a Odebrecht terá direito a 10% das debêntures na NewCo – uma nova companhia, que será criada para controlador a sucroenergética. Com uma futura mudança de controle, a holding cederia até metade de seus direitos econômicos e renunciaria à preferência nos bônus atrelados às debêntures.

novaCana.com
Com informações dos jornais Valor Econômico e O Globo


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail