Usinas

Alcoeste deve moer cana até dezembro e iniciar safra 2020/21 mais cedo

Perspectiva para a próxima safra é manter a unidade totalmente dedicada ao etanol e ampliar a moagem em 10%


Money Times - 23 out 2019 - 07:14

A safra da cana da Alcoeste caminha para o fim da moagem. A companhia, que já produziu 140 milhões de litros de etanol, deve encerrar a temporada no começo de dezembro com pouco mais de 200 milhões de litros.

Na entressafra, a empresa planeja preparar a indústria para começar a temporada seguinte mais cedo. O objetivo é produzir apenas etanol, como já aconteceu na safra atual e na anterior, aproveitando ao máximo a flexibilidade da unidade localizada em Fernandópolis (SP).

Para a safra 2020/21, a empresa de Luís Arakaki já tem um número: mais 10% de cana, elevando a moagem a 2,2 milhões de toneladas. “Tivemos um ganho de produtividade com a mesma área de corte”, conta o diretor-presidente do grupo, que planta em torno de 30 mil hectares de cana.

De acordo com ele, a maioria dos talhões que serão cortados em 2020 apresentou produtividade superior a 85 t/ha. O ganho, proporcional ao clima, já foi sentido na temporada atual – em 2018/19, foram moídas 1,72 milhões de toneladas de cana. Segundo Arakaki, os canaviais haviam sido castigados pela seca prolongada entre maio e setembro.

“O etanol está novamente num ótimo momento, mas não creio que há espaço para novos aumentos”, explica o diretor-presidente da empresa, que completa: “Diferente do ano passado, acho que este ano não vai ter espaço de subir o preço do etanol, pois acho que estamos quase no teto com a gasolina em torno dos R$ 4,00”.

Giovanni Lorenzon


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail