Tecnologia

Etanol pode ser utilizado para gerar hidrogênio, mas precisa de eficiência


Governo do Estado SP - 20 set 2016 - 08:38

O etanol poderá ser a solução para gerar hidrogênio, considerado o combustível do futuro. Esse foi o tema entre os representantes do setor sucroalcooleiro, durante solenidade comemorativa aos 65 anos de fundação da Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana), em Guariba/SP. O evento, realizado no dia 16 de setembro de 2016, contou com a participação do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

O hidrogênio é o combustível utilizado em células de combustíveis em automóveis, que poderá ser obtido por meio da cadeia produtiva do álcool. O processo começa quando o etanol é aquecido e bombeado para o interior de um reator, onde o catalisador estimula uma série de reações químicas que, ao final, geram um gás com elevado teor de hidrogênio.

Os gases residuais, como o monóxido de carbono, dióxido de carbono e metano, são removidos e o hidrogénio é purificado. “Quando é usado o álcool, uma fonte renovável, ocorre um processo sustentável do ponto de vista ecológico, ao contrário do gás natural, um combustível fóssil”, disse Arnaldo Jardim.

“Os automóveis talvez possam um dia rodar com hidrogênio produzido a partir de cana-de-açúcar. Tudo depende, porém, de tornar mais eficiente a reação química que extrai do etanol o gás hidrogênio, normalmente fabricado a partir de gás natural”, comentou o presidente da Datagro, Plínio Nastari.

O segmento já contribui para ser a vanguarda da economia verde. O Estado de São Paulo tem potencial para ser líder na geração de bioenergia a partir do bagaço e da palha da cana-de-açúcar. No Brasil, cerca de 80% da bioenergia é originada de resíduos da cana-de-açúcar, o que garante autossuficiência energética das usinas durante o período de safra. “Precisamos converter os desafios em oportunidades. Temos capacidade de sermos referência em energia limpa, conforme nos orienta o governador Geraldo Alckmin”, disse o secretário de Agricultura.

Atualmente, o Estado de São Paulo é o maior consumidor e produtor de açúcar e etanol do País. “Dois terços da produção de açúcar, e mais da metade do etanol produzido no Brasil são paulistas. Isso se deve aos esforços de toda a cadeia produtiva”, comentou Arnaldo Jardim.

Segundo informações da Secretaria de Agricultura, o Estado tem o menor Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a venda do etanol hidratado do Brasil, de 12%, além de oferecer isenção fiscal para o retrofit de caldeiras e turbinas para incentivar a cogeração, simplificando a cadeia tributária do setor.

Paulo Prendes
Com edição novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail