Investimento

Projeto para pequenos produtores de cana é selecionado pelo Fundo Impacto Bonsucro

O foco está em propriedades de até 25 hectares, nas quais o investimento para a adoção de práticas mais sustentáveis pode ser considerado alto


Gazeta de Piracicaba (SP) - 01 dez 2022 - 09:22
imae intro
Agricultores poderão avaliar sua propriedade e sistema de produção

O projeto da Fundação Solidaridad em parceria com as empresas Raízen e Koppert foi anunciado entre as quatro primeiras propostas financiadas pelo Fundo de Impacto Bonsucro (BIF).

Selecionada pelo edital “Promovendo a inovação em sustentabilidade para pequenos produtores de cana-de-açúcar”, a iniciativa propõe um programa de incentivos e recompensas combinados com recomendações práticas para acelerar a mudança de comportamento de produtores e produtoras de cana rumo a sistemas de produção mais sustentáveis.

O mecanismo será testado entre 50 canavicultores de quatro países da América do Sul: Brasil, Colômbia, Paraguai e Uruguai, sendo que nos últimos três haverá o apoio de instituições locais.

O foco do projeto são propriedades de até 25 hectares, nas quais o investimento para a adoção de práticas mais sustentáveis pode ser considerado alto. Por esse motivo, os pequenos produtores são mais propensos a adotá-las quando há garantia de incremento na produtividade e na renda.

Além disso, muitos benefícios se concretizam apenas a longo prazo. A fundação, portanto, acredita que há uma necessidade de oferecer incentivos que reconheçam os esforços ao longo de todo o processo de melhoria contínua.

O mecanismo proposto pela Fundação Solidaridad e seus parceiros funcionará como uma espécie de programa de milhas, integrado a um aplicativo para celular adaptado às necessidades dos agricultores: eles se autoavaliam, compartilham evidências para validação das melhorias e ganham incentivos e recompensas à medida que avançam.

Como maior produtor mundial de cana-de-açúcar, o Brasil é um país-chave para a fase inicial de testes e futuro escalonamento do projeto. Em parceria com a Raízen e Koppert, a Fundação Solidaridad contará com a participação de 20 produtores brasileiros. O objetivo é desenvolver um modelo replicável de engajamento, aprendizado e suporte alimentado por ferramentas digitais.

Na Colômbia, a parceria será com o Centro Colombiano de Pesquisa em Cana-de-Açúcar (Cenicaña); no Paraguai, com o Ministério de Agricultura e Pecuária, e no Uruguai, com a Alcoholes del Uruguay (ALUR). Cada um dos três países contará com dez canavicultores.

As propostas selecionadas pelo BIF foram escolhidas por meio de um processo seletivo com diversas etapas eliminatórias e avaliação de um comitê interno especializado. O anúncio das iniciativas vencedoras foi feito pela CEO da Bonsucro, Danielle Morley, durante a Bonsucro Global Week, em Ribeirão Preto (SP).

Com investimento de 30 mil libras esterlinas – cerca de R$ 200 mil –, o projeto tem início neste mês e terá a duração de 18 meses.

Replicabilidade

O BIF é uma iniciativa que pretende solucionar desafios críticos de sustentabilidade na cadeia sucroenergética. Para a gerente da unidade de soluções digitais da Solidaridad América do Sul, Violaine Laurens, a vitória no edital é uma grande oportunidade para criar e testar um modelo com alto potencial de replicabilidade de forma colaborativa.

“É um grande orgulho estar à frente de um dos primeiros projetos financiados pelo fundo. Juntamente com Raízen, Koppert e parceiros na Colômbia, Paraguai e Uruguai, queremos revolucionar a jornada da sustentabilidade para pequenos produtores, criando um mecanismo na palma da mão que os ajude de forma prática e permita o reconhecimento dos seus esforços. Há também a intenção de compartilhar aprendizados com a comunidade Bonsucro e replicar a experiência em maior escala”, afirma.

A Koppert dará apoio na elaboração de conteúdos para o aplicativo, com foco em boas práticas agrícolas, como a redução da aplicação de químicos, o uso do controle biológico, o manejo integrado de pragas e a diminuição dos impactos ao meio ambiente.

“Para nós, essa parceria é motivo de muito orgulho. Poder participar fornecendo conhecimento sobre sustentabilidade e contribuindo para o desenvolvimento de agricultores que não têm ou têm acesso limitado a habilidades e conhecimento de práticas agrícolas sustentáveis e lucrativas vem ao encontro de tudo que a companhia acredita e prática no seu dia a dia”, comenta o diretor comercial da Koppert Brasil, Gustavo Herrmann.

Segundo o diretor de agronegócios da Raízen, Ricardo Berni, a iniciativa reforça o papel da companhia em promover integração entre todos os envolvidos na cadeia produtiva, bem como o papel estratégico dos pequenos produtores de cana no setor em ações personalizadas.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x