Financeiro

Vale do Paraná mantém sequência de prejuízos com perda de R$ 28,83 milhões em 2019

Companhia, que apresentou piora em seus resultados operacionais, registrou seu terceiro prejuízo consecutivo


novaCana.com - 07 abr 2020 - 11:11

No ano passado, a usina Vale do Paraná – unidade brasileira do grupo guatemalteco Pantaleon – chamou a atenção do setor sucroenergético ao ser a primeira usina de etanol a entrar em consulta pública para certificação no programa RenovaBio.

Cinco meses depois, a companhia obteve o aval da ANP para participar do programa: o etanol hidratado recebeu a nota 66,4 gCO2/MJ, enquanto o anidro obteve 66,8 gCO2/MJ. Com isso, segundo cálculos do novaCana, a Vale do Paraná poderá emitir mais de 400 mil CBios se atuar no limite da capacidade de produção diária autorizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) durante uma safra com 180 dias de moagem.

As perspectivas para o RenovaBio, no entanto, não afetaram a sequência de prejuízos registrada pela companhia. Em 2019, a Vale do Paraná teve um resultado líquido negativo de R$ 28,83 milhões – seu terceiro prejuízo consecutivo. Ainda assim, o valor é 45,7% menor que o resultado líquido de 2018, quando as perdas somaram R$ 53,12 milhões.

Leia mais:

- Histórico dos resultados financeiros da Vale do Paraná, desde 2012
- Resultados operacionais: receitas, custos e lucro bruto
- Impacto da variação líquida sobre os resultados
- Perfil das dívidas da companhia com empréstimos e financiamentos


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR