Financeiro

Usina da Coaf em Pernambuco distribui R$ 8 milhões com agricultores cooperados

Companhia, que é gerida por cooperativa formada por 1,7 mil canavieiros, dividiu R$ 7,8 milhões de sobras do faturamento da usina em Timbaúba (PE) e mais R$ 200 mil de sobras da unidade matriz no Recife


Jornal do Commercio (PE) - 24 jun 2020 - 07:19

Os cooperados da usina e da unidade de insumos da Cooperativa do Agronegócio dos Fornecedores de Cana (Coaf), em Timbaúba (PE), aprovaram a distribuição das sobras financeiras de quase R$ 8 milhões do exercício 2019, sendo R$ 7,8 milhões da usina e R$ 200 mil da matriz. A decisão foi tomada durante assembleia realizada nesta segunda-feira (22).

Por unanimidade, eles decidiram repartir entre os cooperados a maior parte do recurso, proporcional ao montante de cana fornecida à usina na última safra. Os R$ 200 mil restantes serão distribuídos baseado na compra de insumos por eles na unidade matriz da Coaf, situada na Associação dos Fornecedores de Cana do Estado.

Cada cooperado ganhará R$ 9,10 por tonelada de cana. O valor se soma aos R$ 30 médios de bonificação já pagos ao fornecedor na safra. Ao todo, serão quase R$ 40 de bônus, além do pagamento de uma das melhores taxas sobre o açúcar total recuperável (ATR) dentre as usinas de Pernambuco.

Em 2019/20, o ATR médio foi de R$ 11,91 por tonelada e o preço médio da cana foi de R$ 94,50. Somado com a partilha das sobras da Coaf, o preço médio por tonelada da cana na safra ficará em R$ 145,51. Com isso, a Coaf afirma que esta será a usina que melhor remunerou pela cana do fornecedor em todo o Brasil.

“Em apenas cinco safras, a Coaf mostra eficiência e produtividade, mas também valoriza a cana do fornecedor independente com justiça social entre os participantes dessa cadeia econômica”, diz o presidente da cooperativa, Alexandre Andrade Lima.

Na última safra, a usina elevou em 25,7% a sua moagem de cana e esmagou 845 milhões de toneladas. Também cresceu em quase 30% a fabricação de etanol, atingindo o patamar de 73,5 milhões de litros, e vendeu 60 mil toneladas de bagaço de cana. Além disso, a companhia também produziu 7,7 milhões de litros de cachaça.

Segundo a companhia, a Coaf ainda diversificou o seu mix de produtos com a produção de itens como álcool em gel e álcool 70° para atender às necessidades da pandemia do coronavírus.

Edilson Vieira


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail