PUBLICIDADE
ARMAC
Financeiro

S&P analisa desempenho ‘acima da média’ da São Martinho e os efeitos de uma catástrofe econômica


NovaCana - 16 out 2015 - 10:11

Se uma tragédia varrer a economia brasileira, com uma nota de crédito que decrete o calote do país, retração econômica e inflação de dois dígitos, câmbio superando os R$ 8 por dólar, ainda assim a São Martinho (SMO) sobreviveria...

É isso que diz a agência de classificação de risco Standard &Poor’s (S&P) ao exercitar uma hipótese catastrófica para a realidade nacional. “Acreditamos que a SMO poderia sobreviver a um cenário de default soberano hipotético por causa de seu fluxo de receitas derivado de exportações, dos seus níveis de liquidez adequados e da sua exposição limitada ao risco cambial”, conclui a agência, considerando algumas limitações da empresa.

No funesto exercício de futurologia, a S&P testa a resiliência do grupo a um “potencial estresse soberano”, considerando como premissas uma queda no PIB brasileiro de 10% em 2016, o que afetaria as vendas de etanol, taxas cambiais duplicadas em 2016 e 2017 para R$ 8,2 e R$ 8,4 por dólar, respectivamente, e um índice de inflação de 13%.

Confira a seguir, na visão da S&P, o que aconteceria com o mercado de açúcar, com os preços do etanol, os juros do mercado e o comportamento das dívidas. E ainda os detalhes das contas e da atuação da São Martinho na avaliação da agência.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x