PUBLICIDADE
ARMAC
Financeiro

São Martinho tem lucro líquido de R$ 32,9 milhões no 3T14


Agência Último Instante - 17 fev 2014 - 10:09

Um dos maiores produtores de açúcar e etanol  do Brasil, São Martinho, anunciou nesta sexta-feira, seus resultados financeiros referentes ao 3º trimestre da safra 2013/2014 (3T14).

O lucro líquido somou R$ 32,9 milhões no 3T14 – 4,5 vezes superior ao mesmo período do na anterior (R$ +7,3 MM). O aumento do lucro está relacionado ao menor volume de despesas financeiras e à diminuição no volume de depreciação do período, refletindo de forma mais assertiva a vida útil dos bens e a idade média dos canaviais.

No 3T14 o Ebitda ajustado totalizou R$ 168,4 milhões (margem Ebitda ajustada de 39,6%), representando um crescimento de 4,6% em relação ao 3T13.  No acumulado dos 9M14, o Ebitda ajustado alcançou R$ 618,9 milhões de reais (margem  40,4%), crescimento de 22,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os principais motivos do aumento do Ebitda (lucro antes do pagamento de juros, amortização e depreciação) foram: aumento do volume vendido de todos os produtos da companhia, como consequência do aumento da moagem; e, melhores preços médios de etanol.

O resultado financeiro líquido no 3T14 totalizou uma despesa de R$ 22,1 milhões, apresentando uma diminuição de 34,7% no período, quando comparamos com o 3T13. O principal impacto no resultado foi causado pela variação cambial positiva no período, consequência da exposição ao dólar em nosso saldo de caixa (na mesma moeda).

Em 31de dezembro de 2013, as fixações de preços de açúcar para safra 14/15 totalizavam 338.536 toneladas ao preço de USD 18,34 cents/pound, protegendo 44% da nossa exposição líquida (total da produção de açúcar excluindo nosso hedge natural com o Consecana). Além das fixações do açúcar, a companhia possuía NDF´s de dólar vendidos no montante de USD 97,3 milhões com preços médios de R$ 2,39 / USD destinadas à exportação de açúcar. Adicionalmente, o hedge para o estoque remanescente de açúcar da safra 13/14 somava 174.541 toneladas ao preço de USD 18,39 cents/pound e USD 91,3 milhões com dólar de R$ 2,18 / USD – esse volume representa 100% da exposição liquida de exportação de açúcar que será comercializada no 4T13.

A moagem do Grupo São Martinho atingiu 15,6 milhões de toneladas na safra 13/14 – crescimento de 21% em relação à safra passada. A forte expansão no período foi consequência do aumento de produtividade dos canaviais (aproximadamente 100 toneladas por hectare), combinado com o crescimento da área administrada, resultado da recente aquisição dos canaviais da São Carlos em dezembro de 2012.

Açúcar
No terceiro trimestre da safra 13/14 os preços de açúcar (US$ cents/pound) apresentaram uma recuperação até a segunda quinzena de outubro como consequência de chuvas no Centro-Sul do Brasil que levantaram dúvidas quanto ao volume de moagem previsto da safra 13/14, aumento da demanda (principalmente asiática) e o incêndio no terminal da Coopersucar, que gerou uma expectativa de impacto negativo no  escoamento da produção brasileira. Depois desse período os preços de açúcar apresentaram uma queda acentuada e que se estendeu até o fechamento de dezembro/13. Como resultado do clima seco no final da safra, que permitiu o aumento de dias para moagem de cana no Centro-Sul e  expectativa que a Índia aumente seu volume de exportação na safra atual.

Em 12 de fevereiro desse ano, a UNICA revisou suas projeções para a safra 2013/2014. Segundo a entidade, a revisão, já o centro-sul do Brasil processou até a data 596,2 milhões de toneladas de cana de açúcar na safra 13/14, é 12,0% superior à safra 2012/2013 - com produção de açúcar totalizando 34,3 milhões de toneladas – em linha com a safra 12/13.

Etanol
No terceiro trimestre da safra 2013/14, a companhia observou preços de etanol, tanto anidro como hidratado, superiores aos preços do ano passado (+11,1% e +12,8%, respectivamente). A melhora dos preços líquidos deve-se exclusivamente a desoneração do Pis/Cofins ocorrida em maio/13.

O consumo de etanol no mercado doméstico permaneceu acima de 2 bilhões de litros mensais, principal motivo que sustentou os preços médios do produto.

Energia Elétrica
A São Martinho, na receita líquida das vendas de energia elétrica conquistou crescimento de 110,9% no 3T14 (R$ 40,5 milhões) em relação ao mesmo período da safra anterior. No 9M14 a receita líquida de venda de energia elétrica totalizou R$ 74,9 milhões, aumento de 91,1% em relação ao mesmo período da safra passada. A melhora do resultado foi consequência do aumento de 74,7% no volume de energia vendida no trimestre (+72,1% no acumulado), reflexo principalmente da cogeração da Usina São Martinho, iniciada nessa safra.

Copersucar
Em 31 de dezembro de 2013, o Grupo São Martinho tinha registrado no Passivo de seu Balanço Patrimonial R$ 222,5 milhões de obrigações junto à Copersucar. Tendo em vista os termos  negociados no processo de desligamento da Copersucar, manteremos registrado na rubrica de "Obrigações – Copersucar", os passivos relacionados às contingências que se encontram sob discussão judicial patrocinada pelos advogados da Copersucar. Tais obrigações continuam a ser garantidas por fianças bancárias no montante de R$ 169,5 milhões no consolidado.

Ivonéte Dainese


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x