BASF
Financeiro

Recuperação judicial da Abengoa enfrenta dificuldades; prejuízo em 2018 foi de R$ 208 mi

Votação de plano de recuperação judicial da companhia estava marcada para o dia 30 de maio, mas pode não ocorrer


novaCana.com - 27 mai 2019 - 09:08

Os próximos passos para a sucroenergética Abengoa Bioenergia, em recuperação judicial desde setembro de 2017, estão mais incertos a cada dia. A companhia, que já foi acusada de tentar favorecer credores durante a elaboração de seu plano de recuperação judicial, tinha a expectativa de aprovar o documento ainda no primeiro semestre deste ano, mas isso pode não ocorrer.

Segundo reportagem publicada pelo Valor Econômico, a votação marcada para o dia 30 de maio pode ter que ser adiada. O motivo é uma decisão proferida na terça-feira (21) pelo desembargador Araldo Telles, da 2ª Câmara de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Telles determinou que os credores decidam antecipadamente sobre a modalidade da recuperação, optando por um plano único ou cinco planos individuais, um para cada empresa envolvida. Como a Abengoa preparou um plano conjunto, seria preciso definir uma nova data para a apresentação dos planos em separado.

A decisão atendeu a uma solicitação do China Construction Bank, que tem cerca de R$ 40 milhões a receber. O valor representa cerca de 2,7% da dívida total da recuperação judicial da Abengoa Bioenergia, calculada em R$ 1,5 bilhão.

No texto completo, confira um panorama do desempenho financeiro da Abengoa Bioenergia nos últimos 10 anos.

- Evolução do perfil da dívida
- Resultados brutos e líquidos
- Receitas e custos

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

ou