BASF
Financeiro

Mesmo com recorde de produtividade, prejuízo da Biosev cresce 5,9% no trimestre


Agência Estado - 16 ago 2016 - 08:11

A Biosev, braço sucroenergético da Louis Dreyfus Commodities (LDC), reportou prejuízo de R$ 353,307 milhões no primeiro trimestre do ano-safra 2016/17, correspondente aos meses de abril, maio e junho deste ano. O valor corresponde a uma alta de 5,9% ante igual período de 2015/2016, quando a companhia relatou prejuízo de R$ 333,686 milhões.

A receita líquida da Biosev atingiu R$ 1,672 bilhão no primeiro trimestre da temporada, alta de 22,8% na comparação anual. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 140,02 milhões no trimestre, queda de 23% sobre igual período de 2015/2016. A margem Ebitda ajustado ficou em 8,4% no primeiro trimestre de 2016/2017, ante 13,4% nos primeiros três meses da safra passada.

A dívida líquida ajustada atingiu R$ 5,168 bilhões, ante R$ 4,248 bilhões no primeiro trimestre de 2015/2016. O nível de alavancagem aumentou, de 2,95 vezes no primeiro trimestre da safra passada, para 3,70 vezes em igual período deste ano.

A companhia relatou, ainda, a renovação, após o fim do primeiro trimestre, do empréstimo de US$ 310 milhões de uma linha de empréstimo sindicalizado cujo vencimento foi estendido em dois anos, para junho de 2019. A Biosev reafirma o guidance para a safra 2016/17, divulgado no início de junho, projetando moagem entre 30,5 milhões e 33,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e ATR entre 129 kg/t e 133 kg/t.

Moagem supera 9 mi de t, alta de 5,4%

A Biosev também informou que fechou o primeiro trimestre da safra 2016/17 com produtividade recorde de 91,3 toneladas de cana por hectare (TCH), 9,2% superior a igual período do ano anterior, enquanto o açúcar total recuperável (ATR) atingiu 119,5 quilos por tonelada (kg/t), aumento de 2,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A moagem superou 9 milhões de toneladas, um crescimento de 5,4%.

Segundo a companhia, o polo de Ribeirão Preto (SP) foi o destaque no período, com moagem de 5,3 milhões de toneladas, alta de 8,4%. "O desempenho foi impulsionado pelo aumento de 19,2% da produtividade dos canaviais, que atingiu recorde de 99,7 t/ha, com destaque para a Usina Vale do Rosário, onde o TCH foi de 106,9 t/ha", informou a Biosev.

A Biosev nasceu em 2009, a partir da fusão da LDC Bioenergia com a Santelisa Vale, uma das maiores companhias nacionais na produção e processamento de cana-de-açúcar. Ela é a segunda maior processadora de cana do mundo, com 11 unidades industriais localizadas em quatro polos agroindustriais no Brasil. A capacidade total de moagem é superior a 36 milhões de toneladas por safra.

Gustavo Porto


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail