PUBLICIDADE
boletim boletim
Financeiro

Moody’s eleva nota da usina Coruripe e coloca sucroenergética em perspectiva positiva


Usina Coruripe - 21 fev 2022 - 09:24

A agência de classificação de riscos Moody’s Local divulgou na última quinta-feira, 17, relatório em que atribui uma nova avaliação do risco de crédito para a usina Coruripe. A empresa subiu de categoria (de B para BB), com uma elevação de três degraus na escala e mudança de perspectiva, indo de “estável” para “positiva”, o que indica a possibilidade de uma nova elevação em avaliação futura.

“A perspectiva positiva incorpora a expectativa de que o incremento da moagem, em conjunto a uma perspectiva de preços ainda favoráveis para açúcar e etanol, levará a uma melhora gradual de suas métricas de crédito e perfil de liquidez”, aponta a Moody’s, em relatório.

O documento posiciona a Coruripe entre os 10 maiores grupos sucroenergéticos do Brasil, com capacidade de moagem de 15,1 toneladas de cana-de-açúcar, e “reflete a organização em clusters, a estratégia de controle da oferta de matéria-prima e diversificação geográfica”.

“A histórica alta utilização de sua capacidade e baixo custo de arrendamento de terras estão entre os fatores que contribuem com o custo da companhia; sua estratégia de hedge e seu modelo de remuneração de cana-de-açúcar de terceiros, baseado no preço de vendas da companhia, permite maior previsibilidade e estabilidade de margens”, afirma a Moody’s.

Na avaliação do diretor-financeiro da Coruripe, Thierry Soret, o reconhecimento é fruto “dos avanços da companhia tanto em desempenho operacional quanto na melhora da estrutura de capital”.

Neste mês, a empresa concluiu a emissão de US$ 300 milhões (cerca de R$ 1,59 bilhão) em títulos de renda fixa no exterior (bonds), com juros de 10% ao ano. A transação marcou a entrada da companhia no mercado de capitais internacional e representa uma evolução na estrutura de liquidez, a partir do alongamento de parte da dívida atual para um período de cinco anos.

Na safra 2020/21, a empresa registrou faturamento de R$ 3,16 bilhões, um crescimento de 28,9% em relação à safra 2019/20. O lucro líquido foi de R$ 338,3 milhões, um aumento de 331,9% na comparação com o período anterior.

“As perspectivas para este ano são muito boas e vamos continuar a desenvolver nossas atividades com sustentabilidade e valorização das pessoas”, afirma o presidente da Coruripe, Mario Lorencatto.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x