PUBLICIDADE
ARMAC
Financeiro

Moagem de cana da São Martinho sobe 6,8% no trimestre; lucro dispara 194,6%


Reuters - 15 ago 2017 - 08:16

A moagem de cana-de-açúcar pela São Martinho, um dos maiores grupos do setor sucroalcooleiro do Brasil, totalizou 8,7 milhões de toneladas no primeiro trimestre do ano-safra 2017/18, aumento de 6,8% ante o mesmo período da temporada anterior, informou a empresa nesta segunda-feira.

Em meio ao aumento da produção e maiores preços de açúcar, o lucro líquido no período somou 116,873 milhões de reais, alta de 194,6% ante o mesmo período do ano anterior.

O volume de cana moída representou 39% do total estimado para a temporada, "apesar do forte volume de chuvas observado no início da safra", segundo a São Martinho.

"A combinação da maior quantidade de cana processada neste trimestre com a melhora em 2,2% no ATR (Açúcar Total Recuperável) médio (kgs/ton) representou um aumento de 9% no volume total de ATR produzido no trimestre", destacou a São Martinho.

"Esse efeito positivo em nossa produção reflete melhores condições climáticas no período, além da consolidação integral da Boa Vista em nossos resultados", acrescentou a empresa, em relatório sobre o balanço financeiro do período.

A produção de açúcar da São Martinho somou 504 mil toneladas, aumento de 5,1% na comparação anual, enquanto a fabricação de etanol anidro atingiu 159 milhões de litros (+3,2%) e a de hidratado 170 milhões de litros (+24,7%).

O mix de destino da matéria prima ficou em 48% para o açúcar e 52% para o etanol. Segundo o Valor Econômico, ao longo do trimestre, a empresa avançou na fixação dos preços do açúcar a ser vendido, que passou de um equivalente a 68% da commodity a ser produzida a partir da cana cultivada em suas próprias lavouras, em 31 de março, para 77% em 30 de junho.

A companhia reportou ainda aumento de 22,3% na receita líquida no período, para 867,9 milhões de reais. Por sua vez, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da companhia sucroenergética aumentou 42,4% na mesma comparação, para R$ 475,340 milhões.

"Conseguimos precificar uma estratégia boa. Movimentamos açúcar e também energia em preços bons", Fabio Venturelli (São Martinho)

A melhora do resultado reflete, principalmente, maior volume de vendas de açúcar (+13,0%), com melhor preço de comercialização (+26,2%) e maior volume de vendas de energia (+12,9%), reflexo da incorporação da Usina Boa Vista, disse a empresa.

A receita líquida das vendas de açúcar totalizou 552,7 milhões de reais, um aumento de 42,7% em relação ao mesmo período da safra anterior.

A receita líquida com o açúcar avançou 42,7% no período sobre igual trimestre da safra passada, para R$ 552,653 milhões, mas o faturamento com o etanol hidratado recuou 28,4%, para R$ 76,999 milhões.

A queda no hidratado foi minimizada pela alta de 2,9% na receita de etanol anidro entre os períodos, para R$ 155,717 milhões, e o avanço de 51,5% na receita de energia elétrica comercializada, para R$ 66,212 milhões.

Ainda assim, a dívida líquida consolidada cresceu 3,9%, para R$ 2,684 bilhões. "O aumento reflete um maior capital de giro utilizado no trimestre, decorrente principalmente de nossos estoques de produtos finais, que deverão ser revertidos em caixa até o final desta safra". A margem entre essa dívida líquida e o Ebitda recuou de 1,55 vez para 1,52 vez entre os períodos.

Roberto Samora
Com informações adicionais da Agência Estado e do Valor Econômico; edição novaCana.com

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x