Financeiro

Após lucro recorde em 2020/21, Balbo deve emitir R$ 200 milhões em debêntures

Com resultado líquido de R$ 287,97 milhões, a empresa registrou um crescimento anual 98%


NovaCana - 25 ago 2021 - 08:56 - Última atualização em: 25 ago 2021 - 14:49

Nos últimos anos, o setor sucroenergético tem ampliado a captação de recursos por meio do mercado de capitais de dívida. O grupo Balbo irá se juntar a estas empresas, pois duas de suas usinas farão suas primeiras emissões de debêntures. Em 16 de julho, os acionistas se reuniram para aprovar a geração dos títulos.

Segundo ata publicada no Diário Oficial de São Paulo, as usinas Santo Antônio e São Francisco poderão emitir debêntures quirografárias, não conversíveis em ações, no valor de até R$ 100 milhões cada. No caso da emissão da São Francisco, os papéis ainda servirão de lastro para a geração de Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRAs).

As captações, que totalizam R$ 200 milhões, acontecem após a companhia divulgar mais um resultado positivo. O grupo Balbo fechou a safra 2020/21 com um lucro de R$ 287,97 milhões, crescimento de 98% ante a temporada anterior, quando contabilizou R$ 145,43 milhões.

Neste montante são consideradas todas as empresas do grupo: as usinas São Francisco, Santo Antônio e Uberaba; a marca Native, especializada em produtos orgânicos; a produtora de cana-de-açúcar Iracema; a PHB Industrial, que atua no mercado de plásticos; e duas empresas do ramo imobiliário.

Na reportagem completa, exclusiva para assinantes, leia mais sobre as debêntures e veja gráficos exclusivos detalhando o desempenho do grupo Balbo em 2020/21.

- Resultado líquido do grupo
- Lucro bruto do grupo
- Relação entre receitas e custos
- Resultados de cada usina
- Formação da receita
- Perfil das dívidas


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

Card image


x