Financeiro

Lucro líquido da São Martinho cresce 42% no 3º trimestre


Agência Estado - 15 fev 2016 - 09:45

O Grupo São Martinho reportou nesta sexta-feira, 12, lucro líquido de R$ 76,02 milhões no terceiro trimestre do ano-safra 2015/16 (outubro, novembro e dezembro). O montante representa crescimento de 42% ante os R$ 53,54 milhões registrados em igual período da temporada 2014/15.

A receita líquida no período atingiu R$ 594,18 milhões, crescimento de 43,5% na mesma base de comparação. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 411,90 milhões (+43,2%). Já a margem Ebitda ajustado variou de 48,4% para 48,3% entre os trimestres.

A dívida líquida da companhia cresceu 27,3% ao longo da safra, para R$ 3,26 bilhões. A alavancagem passou de 2,2 vezes em março para 2,6 vezes em dezembro. Quanto aos investimentos, estes caíram 5,1% entre os trimestres, para R$ 209,55 milhões. No acumulado da temporada, porém, é 6,9% maior, com R$ 522,10 milhões.

De acordo com o relatório de resultados, a companhia processou 20,02 milhões de toneladas de cana-de-açúcar no ano passado, aumento de 7% na comparação com 2014/15. O nível de sacarose nas plantas, porém, foi menor, com 128,9 quilos por tonelada de matéria-prima, refletindo as chuvas em excesso.

A produção de açúcar ficou praticamente estável, com 1,23 milhão de toneladas (-0,1%). A de etanol atingiu 751 milhões de litros (-5%), dos quais 445 milhões de litros de anidro (+1,5%) e 306 milhões de litros de hidratado (-13,3%). O total de energia exportada ao sistema foi de 741 mil MWh (+2,9%). O mix de produção no ciclo foi de 50% para açúcar e 50% para álcool.

A São Martinho também informou que 45% de sua receita no trimestre foi proveniente da comercialização de açúcar. Outros 26% vieram do hidratado; 21%, do anidro; e 8%, de outras atividades. No acumulado da safra 2015/16, o preço médio alcançado com as vendas de açúcar foi de R$ 1.033,6 por tonelada (+17,2%).

Em relação aos estoques, em 31 de dezembro a São Martinho detinha reservas de 397,69 mil toneladas de açúcar (+13,5%), 94,85 milhões de litros de hidratado (-47,6%) e 148,64 milhões de litros de anidro (-4,1%).

Quando ao hedge, a empresa informou que no fim do ano passado havia fixado o preço de 418,58 mil toneladas de açúcar da safra 2015/16, ao preço médio de 15,74 centavos de dólar por libra-peso, representando a totalidade do volume a ser vendido no último trimestre da safra. Para a temporada 2016/17, que se inicia em abril, o hedge atinge 433,49 mil toneladas, a 13,96 centavos de dólar por libra-peso.

A companhia possui quatro usinas: São Martinho, em Pradópolis (SP); Iracema, em Iracemápolis (SP); Santa Cruz, em Américo Brasiliense (SP); e Boa Vista, em Quirinópolis (GO), esta última uma joint venture com a Petrobras Biocombustível. Juntas, essas unidades têm capacidade para processar até 22 milhões de toneladas de cana por safra.

José Roberto Gomes


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x