Financeiro

Para Fitch, alta de casos de covid-19 pode afetar fluxo de caixa das sucroenergéticas

Estimativas atualizadas da agência de classificação de risco apontam para uma oferta de etanol superior à demanda em 2021


NovaCana - 30 mar 2021 - 10:55

Pouco mais de um ano após os registros dos primeiros casos de covid-19 no Brasil, a Fitch Ratings volta a alertar o setor sucroenergético sobre os impactos da doença para as companhias.

Ao final do ano passado, a agência de classificação de risco já havia reforçado que, dependendo do alcance e da força de novas ondas de contaminação, o coronavírus seria capaz de mudar o cenário projetado para 2021, afetando tanto os preços do petróleo quanto a demanda global por açúcar. “A recuperação da indústria brasileira de etanol depende dos preços da gasolina e do contínuo relaxamento das restrições à mobilidade social”, apontou.

Agora, um novo relatório comenta o crescimento no número de casos da doença no Brasil. Conforme a Fitch, o retorno das restrições à mobilidade deve pressionar o fluxo de caixa dos produtores de açúcar e etanol.

“Uma demanda por etanol menor do que a inicialmente prevista deverá limitar os ganhos gerados pelo aumento dos preços de petróleo para os produtores sucroenergéticos brasileiros”, afirma e completa: “Fluxos de caixa mais fracos podem gerar atrasos nos processos de desalavancagem de alguns emissores”.

Leia a análise completa no texto exclusivo para assinantes.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail