BASF
Financeiro

Elite do setor: 30 maiores grupos têm prejuízos combinados duas vezes maior do que lucros


novaCana.com - 15 set 2015 - 12:51 - Última atualização em: 25 ago 2016 - 17:52

Uma amostra refinada de grupos do setor sucroenergético, que representa a elite empresarial – apenas com os conglomerados que conseguiram se posicionar entre os mil maiores do país em termos de faturamento – deixa evidente porque apesar da perspectiva de uma safra atual melhor do que a anterior, os usineiros têm muito com que se preocupar.

Dos 30 maiores grupos do setor sucroenergético em receita líquida, menos da metade das companhias perderam dinheiro com o negócio em 2014, no entanto, em volume de recursos, os prejuízos foram duas vezes maiores que os lucros.

A perda combinada das 12 companhias que encerraram o ano passado no vermelho foi de R$ 2 bilhões. O valor é mais do que o dobro do lucro conjunto, de R$ 929 milhões, aferido pelas 17 superavitárias (uma das empresas listadas não possui dados sobre este indicador).

Já o endividamento oneroso — que gera despesas financeiras, como empréstimo, financiamento e debêntures — dos grupos avaliados somava R$ 56,7 bilhões ao final de 2014, enquanto as receitas marcavam R$ 58,8 bilhões.

Com um recorte diferente, há cerca de dois meses, foi apresentado um ranking, mais estendido, revelando as 81 empresas do setor sucroenergético entre as duas mil maiores companhias brasileiras. Este novo levantamento apresenta a maior parte das informações de forma consolidada por grupo econômico e traz todos os oito indicadores financeiros em moeda nacional.

A seguir, em detalhes:

- a receita de cada grupo e a variação em relação a 2013

- o lucro de cada companhia

- o desempenho operacional (Ebitda) dos negócios

- endividamento de cada grupo

- planilha interativa com opções avançadas de filtros

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar