Financeiro

Dívida com a União leva à suspensão de leilão de usinas do grupo Clealco

Argumento é que o pagamento do débito de R$ 446,67 milhões ficaria comprometido após a venda de unidade


NovaCana - 14 out 2021 - 12:23 - Última atualização em: 20 out 2021 - 08:26

Previsto para acontecer na próxima terça-feira, 19, o leilão das usinas do grupo Clealco foi suspenso pela justiça. A decisão atende parcialmente a um pedido da União, que havia solicitado o cancelamento do certame. A princípio, os interessados podiam apresentar propostas para a unidade localizada em Clementina (SP) ou para a usina em Queiroz (SP); além destas unidades, o grupo ainda possui uma terceira, em Penápolis (SP).

Em sua decisão, o juiz Fábio Renato Mazzo Reis, da 1ª vara cível do foro de Birigui, leva em consideração a reforma na lei de recuperação judicial, que entrou em vigor em janeiro deste ano, e uma petição da União. No documento, o governo alega que a Clealco é “grande devedora do fisco”, com uma dívida consolidada de R$ 446,67 milhões, e que não deveria ser autorizada a venda de ativos para pagamento dos credores privados em detrimento dos credores públicos.

Entretanto, o magistrado também observa que a sucroenergética pode enfrentar dificuldades caso a venda não seja realizada e, portanto, optou por suspender o leilão para a realização de uma perícia técnica.

“O grupo Clealco vem honrando as obrigações contidas no plano de recuperação judicial, seus credores concursais vêm sendo regularmente pagos, as usinas estão em atividade e garantem inúmeros empregos na região”, pondera e completa: “Os credores também já receberam parcela de seus créditos em razão dos certames judiciais realizados, com a venda de terras”.

Saiba mais sobre as circunstâncias do caso:

- Conflito de interesse entre bancos e a União
- Mudanças nas regras de recuperação judicial
- Contexto fiscal da Clealco


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR