Financeiro

Diana Bioenergia capta R$ 3 milhões por meio de Cédula de Crédito Bancário


NovaCana - 28 jun 2021 - 09:08

Após aprovação da emissão de R$ 75 milhões em debêntures incentivadas em abril, a diretoria do grupo Diana Bioenergia, que controla uma usina em Avanhandava (SP), deliberou sobre a captação de mais um recurso.

Conforme divulgado em Diário Oficial do estado de São Paulo em 19 de maio, a companhia aprovou o contrato de uma operação de crédito, feita junto ao Banco Safra, para a emissão de uma Cédula de Crédito Bancário (CCB) no valor de R$ 3 milhões.

A emissão terá 30% do valor de garantia e será feita em uma única operação com aditamentos eventuais.

Os CCBs são títulos de crédito emitidos, tanto por pessoa física quanto jurídica, em favor da instituição financeira e representam a promessa do pagamento em dinheiro resultante da operação de crédito.

Em entrevista ao NovaCana, o diretor administrativo e financeiro da Diana Bioenergia, Leonardo Perossi, detalhou que a empresa tem buscado diversificar os seus acessos para aquisição de capital. “No Brasil tudo muda muito constantemente. Então, é preciso ter um apoio maior do mercado para que, em algum momento, caso você precise, possa acessar aquele mercado enquanto o outro está mais apertado”, explica.

A empresa também costuma obter recursos via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em 2020, foram R$ 22,89 milhões financiados por meio do banco, para um projeto de plantio de cana-de-açúcar, em uma operação indireta automática. Neste caso, a transação é feita por meio de empresas financeiras credenciadas no BNDES, responsáveis pela análise do tomador de crédito. Além disso, na modalidade automática, com valor máximo de R$ 150 milhões, não é preciso passar por uma avaliação prévia do banco.

Em 2019, a Diana Bioenergia obteve R$ 56,98 milhões via BNDES para dez projetos, no maior valor anual da série histórica iniciada em 2004. Os montantes foram usados para expansão e modernização industrial, plantio de cana-de-açúcar e fabricação de etanol.

Gabrielle Rumor Koster – NovaCana