PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Financeiro

Com impacto negativo do câmbio, Zilor registra prejuízo de R$ 58,2 milhões


NovaCana - 03 jul 2015 - 11:21 - Última atualização em: 07 jul 2015 - 10:51

O Grupo Zilor, que conta com três unidades produtivas no Estado de São Paulo, terminou a safra 2014/15 com prejuízo.

A última linha do balanço da empresa aponta R$ 58,2 milhões de perdas referentes ao período encerrado em 31 de março, revertendo o lucro de R$ 795 mil da safra anterior. Em boa medida, o resultado foi atribuído ao impacto da variação cambial, responsável por R$ 147 milhões das perdas.

O relatório auditado pela PWC ajuda a entender a situação da Zilor. Segundo o documento, a companhia vem realizando relevantes investimentos na ampliação e modernização de suas instalações e também na diversificação dos seus negócios.

“Entre os projetos realizados estão aumento da produção de açúcar e etanol obtido através da duplicação da capacidade de processamento de cana-de-açúcar da Açucareira Quatá, a construção de um complexo industrial para cogeração de energia elétrica (capacidade de 208 MW) e criação e ampliação da unidade de negócio Biorigin (especializada na produção e comercialização de derivados de levedura)”, aponta o relatório.

Somados, os investimentos atingem R$ 480 milhões. Individualmente, a Açucareira Quatá foi a empresa do grupo com pior resultado, com perda de R$ 58,6 milhões. Ela está ligada à unidade de negócio Biorigin, que demandará até 2017 recursos de R$ 207 milhões e já impacta o resultado da empresa. A Quatá também passou por uma expansão de sua capacidade produtiva equivalente a 60%.

Na última safra, a companhia processou 10,1 milhões de toneladas de cana em suas três unidades, com um mix de produção mais voltado ao etanol (54%). A companhia possui 181 mil hectares para o cultivo de cana-de-açúcar e projeta um ganho de produtividade 37,6%.

De acordo com o balanço, a receita líquida da companhia aumentou 4,4%, para R$ 1,527 bilhão ante R$ 1,462 bilhão registrado anteriormente.

Resultado do mix alcooleiro, o produto mais significativo nas vendas foi o etanol, o qual ofereceu uma receita de R$ 637 milhões. No entanto, o valor representa queda de 9% em relação à safra passada. Já a venda de açúcar, apesar da menor participação, com R$ 524 milhões, apresentou alta de 10,7%.

As vendas de derivados de levedura, por meio da Biorigin, totalizaram R$ 167,4 milhões e as de energia elétrica contribuíram com R$ 175 milhões.

O endividamento total atingiu cerca de R$ 1,6 bilhão, contra R$ 1,435 bilhão na safra passada. Possuem vencimento no curto prazo R$ 795 milhões da dívida. No longo prazo, o vencimento dos R$ 804 milhões restantes se distribuem até 2025.

Felipe Vanini Bruning – novaCana.com

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE


x