Financeiro

Bunge: receita com cana no 4º tri é a melhor desde o 3º tri de 2014


Agência Estado - 11 fev 2016 - 17:16

O segmento de açúcar e bioenergia da Bunge no Brasil obteve no quarto trimestre do ano passado o melhor resultado de receita em mais de um ano. A área registrou US$ 10 milhões em vendas entre outubro e dezembro de 2015, montante só superado pelos US$ 44 milhões computados no terceiro trimestre de 2014. Conforme a empresa, o valor reflete a maior moagem de cana-de-açúcar no período, mas ainda assim foi afetado por uma perda de US$ 11 milhões na área de trading global.

A receita do segmento de açúcar e bioenergia da Bunge melhorou ao longo do ano passado, na esteira da alta dos preços do açúcar na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e do etanol no mercado interno brasileiro.

Após a receita positiva no terceiro trimestre de 2014, a companhia registrou vendas negativas de US$ 23 milhões no quarto trimestre daquele ano e também nos primeiros três meses de 2015. Entre abril e junho do ano passado, o resultado ficou negativo em US$ 12 milhões e voltou a ficar no azul entre julho e setembro, com US$ 3 milhões. No fechado de 2015, a receita ficou negativa em US$ 22 milhões.

Para 2016, a Bunge traça um cenário construtivo. "Considerando nosso hedge em açúcar e as previsões para o preço de etanol, esperamos que 2016 seja um ano de crescimento no lucro e no fluxo de caixa", destacou a companhia, em relatório de resultados divulgado nesta quinta-feira, 11. "Ainda trabalhamos para que nossas operações tenham financiamento próprio, limitando o investimento de capital. Semelhante aos anos anteriores, os resultados da companhia serão mais fracos no primeiro semestre do ano."

A Bunge opera oito usinas no Brasil, nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Tocantins e Mato Grosso do Sul. Juntas, elas têm capacidade combinada para processar 21 milhões de toneladas de cana por safra.

José Roberto Gomes