Financeiro

BNDES estuda linha vinculada ao RenovaBio; lançamento deve ser ainda este ano

Usinas certificadas no programa poderão ter acesso a uma taxa de juros reduzida, vinculada a melhoras no fator de emissão de CBios


novaCana.com - 28 out 2020 - 16:12

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está desenvolvendo um programa de financiamentos vinculado ao RenovaBio e pretende lançá-lo ainda este ano. Os estudos estão sendo feitos em parceria com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e o Ministério de Minas e Energia (MME).

A linha de crédito foi anunciada hoje, 28, pelo chefe de departamento do complexo agroalimentar e biocombustíveis do BNDES, Mauro Mattoso, durante a 20ª Conferência Internacional Datagro. Ele esclareceu que será necessário dar entrada especificamente no projeto do banco, mesmo que a empresa já tenha uma linha de crédito ativa no BNDES.

Os diferenciais, conforme o representante, são análise e acompanhamento mais ágeis, sem a necessidade de apresentar projetos para a aplicação de recursos. “O único acompanhamento que faremos de fato é se houve uma melhoria no fator de emissão de CBio da unidade. Não vamos acompanhar detalhadamente o uso deste financiamento e, sim, o objetivo”, detalha Mattoso.

A ideia é que, com a melhora no fator de emissão, o produtor tenha uma redução na taxa de juros do financiamento contratado. “O fator de emissão é visto na época da contratação e, depois de um tempo, o BNDES faz uma nova verificação. Havendo melhoras, há reduções das taxas. Logo, o produtor terá uma meta”, detalha.

O valor da taxa e a redução a ser aplicada, entretanto, ainda estão sendo avaliados. Eles devem ser calculados por Taxa de Longo Prazo (TLP), Selic ou Taxa Fixa.

Mattoso ainda destaca que pode ser que haja algum tipo de punição se a empresa sair do RenovaBio, fazendo com que perca o desconto. Por isso, além do acompanhamento do fator de emissão, o único outro fator que será olhado pelo banco é se o produtor segue dentro do programa, com certificação válida junto à ANP.

O objetivo, conforme Mattoso, é estimular a redução das emissões de CO2 no setor de transportes por meio dos mecanismos existentes no RenovaBio. Assim, um financiamento vinculado à usina certificada no programa deve auxiliar nos investimentos necessários para a melhoria do fator de emissão dos créditos.

Gabrielle Rumor Koster – novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail