Financeiro

Biosev tem moagem estável de cana em nove meses da safra 2019/20; reduz prejuízo


Reuters - 14 fev 2020 - 11:21 - Última atualização em: 17 fev 2020 - 08:07

A Biosev, uma das maiores processadoras de cana-de-açúcar do Brasil, moeu 25,9 milhões de toneladas nos nove primeiros meses da safra 2019/20, em linha ao registrado no mesmo período da temporada anterior, devido principalmente à maior produtividade em algumas áreas, o que compensou efeitos da geada no polo de Mato Grosso do Sul.

No terceiro trimestre da safra, a moagem consolidada do braço de açúcar e etanol da Louis Dreyfus atingiu 3,2 milhões de toneladas, 15,8% inferior em relação à registrada um ano antes, devido principalmente a uma queda de produtividade, em meio à estratégia de mitigação dos efeitos da geada no Polo Mato Grosso do Sul.

biosev1 20200214

A produtividade dos canaviais medida pelo TCH consolidado atingiu média de 80,1 toneladas/hectare em nove meses, 2,1% superior ao mesmo período do ano passado, resultado explicado principalmente pelas condições climáticas mais favoráveis no período de formação do canavial (janeiro a março), principalmente no Polo RP Norte, parcialmente compensadas pela geada que atingiu o Mato Grosso do Sul.

Apenas no terceiro trimestre da safra vigente, atingiu 68,2 ton/ha, 6,1% inferior em comparação com o mesmo período da safra anterior, resultado explicado principalmente pela geada que atingiu a região do Polo Mato Grosso do Sul.

biosev2 20200214

O teor de ATR Cana consolidado no acumulado da safra 2019/20 foi de 129,1 kg/tonelada, 2,1% inferior aos nove primeiros meses da safra anterior, resultado que reflete os impactos da seca no ciclo anterior, que favorecem a concentração no conteúdo de açúcar. No terceiro trimestre, atingiu 140,3 kg/tonelada, 10,3% superior na comparação anual, ocasionado pelo clima mais seco no período quando comparado à safra passada.

biosev3 20200214

A empresa informou ainda, na noite de quinta-feira, uma redução do prejuízo líquido (ex-IFRS16) no acumulado da safra até o terceiro trimestre, para 429,2 milhões de reais, versus um prejuízo de 892,6 milhões de reais no mesmo período do ciclo anterior.

No terceiro trimestre da safra, o resultado ex-IFRS16 registrou lucro de 22,7 milhões de reais, versus um prejuízo de 230,6 milhões um ano antes.

O mix de etanol atingiu 64,6%, devido ao maior direcionamento de ATR para a produção do combustível, dada à sua melhor rentabilidade em relação ao açúcar, ficando em linha ao registrado no acumulado da safra anterior.

O mix de anidro (etanol anidro sobre o total de etanol produzido) foi de 29,2%, 8,1 pontos percentuais acima de 2018/19, resultado da estrategia comercial de focar em produtos de maior valor agregado.

biosev4 20200214

Roberto Samora
Informações adicionais novaCana.com