PUBLICIDADE
boletim boletim
Financeiro

B3 lança programa para fomentar mercado de debêntures


O Estado de S. Paulo - 03 nov 2022 - 09:34

A B3 lançou um programa de formação de mercado das debêntures, olhando para um estoque que está perto de R$ 1 trilhão. A ideia é que três corretoras façam ofertas firmes de compra e venda diariamente na plataforma Trader e com isso ampliar o volume negociado de debêntures em tela da B3.

À medida em que as negociações ganhem corpo, o plano é que os preços da plataforma de negociação se tornem referência para o mercado, tragam maior transparência e fomentem os volumes.

O programa começou em setembro e desde então duas corretoras, a Warren e a RB Investimentos, se credenciaram. Com isso, o Trader, que já tem 10 anos, viu o volume médio diário de ofertas de debêntures subir de R$ 70 milhões em agosto para R$ 545 milhões em setembro e ao pico de R$ 1,5 bilhão no último dia 24 de outubro.

Esse crescimento não se traduziu ainda em um aumento expressivo de negócios concluídos, que segue ao redor de R$ 4 milhões diários.

“É um programa muito novo ainda e é preciso primeiro ganhar a confiança do investidor para que haja impacto no volume de negócios”, diz o superintendente de produtos de renda fixa na B3, Afonso Rossatto. Ele espera que, em seis meses, o volume ofertado em tela alcance R$ 3 bilhões. Mais uma corretora deve entrar no programa.

Rossatto chama atenção para o fato de que o giro diário do mercado de debêntures no mercado secundário, majoritariamente corretoras, plataformas de investimentos e bancos, representa entre 1,5% e 2% do estoque. Segundo ele, esse número é pequeno em comparação a outros mercados no exterior, onde este porcentual roda em torno de 40%.

A presença de preços em tela e garantia de negociação pode alimentar essa liquidez do mercado secundário de debêntures, trazer transparência de preços e ajudar os investidores a navegar no novo ambiente de marcação a mercado a partir de 2023. Até o momento, a correção do preço era feita na curva, ou seja, de acordo com a taxa original de retorno da operação, prevista no vencimento do título.

Atualmente, a B3 tem uma metodologia teórica para chegar ao valor de mercado das debêntures. “Com o negócio em tela posso chegar a um preço mais aderente com o que o mercado está negociando”, diz Rossatto.

A B3 começou a divulgar a marcação a mercado das debêntures em maio e, além do formador de mercado, a ideia é lançar outras iniciativas para facilitar o pós-negociação.

Cynthia Decloedt


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x