BASF
Financeiro

Anidro alavanca Ebitda trimestral da São Martinho


Valor Econômico - 07 fev 2013 - 08:12 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

O grupo São Martinho, um dos maiores do segmento sucroalcooleiros do país, adiou a venda de parte de seu volume de açúcar para os últimos três meses da safra, sustentando o crescimento de sua geração de caixa com o anidro. As vendas desse biocombustível cresceram 58% no trimestre encerrado em 31 de dezembro em relação a um ano antes e ajudaram a elevar o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado em 4,4%, para R$ 161 milhões, e a ampliar a margem operacional em 0,2 ponto percentual, para 40,8%.

O presidente da companhia, Fábio Venturelli, afirmou que a companhia optou por vender um volume menor de açúcar no período, diante da oportunidade de captar melhores preços no quarto trimestre. "Embarcamos 170 mil toneladas no terceiro trimestre e deixamos a maior parte, 270 mil toneladas, para o próximo", disse o executivo.

No ano passado, detalhou, a empresa tinha apenas 130 mil toneladas para serem vendidas no último trimestre. "Agora, levamos 270 mil toneladas", compara. Com isso, conseguiu precificar 220 mil toneladas da commodity (do total de 270 mil toneladas disponíveis no quarto trimestre) ao preço médio de 21,75 centavos de dólar por libra-peso e com um dólar fixado a R$ 2.

Na média de toda a safra 2012/13, a companhia estima precificação média de 21,50 centavos de dólar por libra-peso ao câmbio médio de R$ 1,85. No ciclo passado, o 2011/12, a empresa alcançou preço médio para a commodity de 23,50 centavos de dólar por libra-peso ao dólar médio de R$ 1,75.

Para a temporada 2013/14, que começa em abril, a São Martinho havia "precificado", até 31 de dezembro, 453 mil toneladas de açúcar ao preço médio de 22,07 centavos de dólar a libra-peso e ao câmbio médio de R$ 2,15. O volume equivale a 50% da produção total de açúcar da empresa.

A estratégia da companhia no ciclo que será encerrado em 31 de março foi maximizar a produção de açúcar e etanol anidro - esta última cresceu 44% para 275 milhões de litros - e reduzir a do hidratado em 6%, para 176 milhões de litros. "Foram feitos alguns ajustes industriais para aumentar a capacidade de produção de anidro", afirmou Felipe Vichiatto, que agora responde pela diretoria de Relações com Investidores (RI) da companhia.

Após o encerramento do pregão de ontem na BM&FBovespa, a São Martinho divulgou lucro líquido de R$ 7,3 milhões, 86,8% abaixo dos R$ 55,4 milhões registrados em igual intervalo do ano passado. A empresa creditou o recuo a variações contábeis sem efeito caixa.

Entre elas, o aumento de R$ 25,4 milhões nas despesas com depreciação, ganho não recorrente de R$ 13,7 milhões registrado no terceiro trimestre da safra passada resultado do segundo aporte de capital da Petrobras Biocombustível (PBio) na Nova Fronteira, e ganho de R$ 11,2 milhões advindo da compra de participação acionária na Usina Santa Cruz, também ocorrido no mesmo trimestre do ciclo passado. A receita líquida da empresa no terceiro trimestre cresceu 3,8%, para R$ 394,9 milhões.

A empresa processou no ciclo 2012/13 12,9 milhões de toneladas de cana, 21,7% de alta e produziu 969 mil toneladas de açúcar e 451 milhões de litros de etanol.

Fabiana Batista


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail